Bicicletada nesta sexta. Concentração 19 horas na Ponte Torta

O Pedala Jundiaí faz nesta sexta-feira 16, a última Bicicletada do ano. E a última da administração Pedro Bigardi.

A bicicletada (massa crítica) é inspirada em movimentos que acontecem nas principais cidades do mundo e que chamam atenção para a mobilidade sustentável (pedestres e ciclistas) como alternativa para a poluição, os congestionamentos e o sedentarismo.

Em Jundiaí, depois de ter recebido o prefeito Bigardi que chegava ao Paço Municipal no início de 2013 com uma grande manifestação de apoio, os ativistas perderam força e pouco conseguiram durante os quatro anos de mandato.

A própria Bicicletada saiu do cenário e só voltou recentemente ainda na busca de juntar mais gente pra, de novo, pressionar o novo governo a olhar para o mundo de ciclistas e pedestres.

O governo Bigardi pelo menos conseguiu colocar o Plano Cicloviário dentro do Plano Diretor o que, ao menos teoricamente, garantiria um futuro mais pedalável para a cidade. Mas, na prática, quase nada foi feito.

Engolido especialmente pela burocracia e pensamento carrocentrado da Secretaria de Transportes, o governo Bigardi não conseguiu, sequer, estabelecer uma ciclorrota experimental ou ampliar a ciclofaixa que já existia na avenida Luiz Latorre e parte da avenida dos Ferroviários.

Pude participar de algumas reuniões entre técnicos da Secretaria de Transportes, Secretaria de Obras e Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente. Até rotas foram propostas pelos ativistas, especialmente do Pedala Jundiaí, mas sem sucesso.

A inacreditável visão burocrática impediu qualquer avanço.

Já no final do governo Bigardi foi anunciada uma ciclovia na avenida 9 de Julho, um projeto altamente questionável, caro e sem um sentido claro.

Num comparativo com o governo Fernando Haddad em São Paulo, que investiiu pesado na construção de ciclovias e de uma cultura de mobilidade sustentável (mesmo sendo penalizado por isso), o governo Bigardi fez apenas mais do mesmo.

Não conseguiu conectar iniciativas como o Urbanismo Caminhável, os Parklets e a cultura da bicicleta. Apenas uma única vez, no Dia Mundial sem Carro de 2015 montou uma faixa para bicicletas na avenida 9 de Julho.

Uma experiência de sucesso, mas que ficou por ali mesmo.

O prefeito eleito, Luiz Fernando Machado, ainda quando candidato, se disse envolvido no tema e assinou uma carta compromisso como grupo Pedala Jundiaí.

“Vou assinar a carta de compromisso e espero nos próximos 4 anos, se eleito prefeito, contribuir para que a cidade avance, já que nos últimos quatro anos só a burocracia avançou e nada saiu do papel”, lembra o candidato tucano que se comprometeu em dar continuidade aos projetos descritos pelo prefeito Pedro Bigardi.

O então candidato do PSDB disse que fez ressalvas para assinar a carta-compromisso para não se comprometer com o que não poderá ser cumprido.

Agora eleito, terá que escolher que rumo tomar.

O evento desta sexta-feira será mais um oportunidade para quem usa a bicicleta e enxerga um futuro menos dependente do automóvel mostrar que um outro mundo é possível.

A foto de abertura é de Marcos Fernandes. Ciclistas da cidade explorando as trilhas da região de noite.

LEIA TAMBÉM
Será que dessa vez a bicicleta terá o lugar que merece?

ASSISTA AO VIDEO

Feito durante o Dia Mundial Sem Carro, 22 de setembro de 2015.

Deixe um comentário