Primavera do pedal renova a paisagem e o debate na cidade

 A entrada oficial da Primavera nesta sexta-feira (22) marca na cidade uma multiplicação de árvores “florescentes” e pássaros “nidificantes” ao longo da estação. A data coincide ainda com o Dia Mundial Sem Carro e com o Dia Municipal do Ciclista, mas não houve nenhuma atividade específica para esses temas.   A Prefeitura iniciou na véspera um plantio de 77 árvores foi feito por pequenos alunos na rua do lado externo da escola municipal João Batista Toledo, no Jardim Tamoio. Entre elas uma das espécies mais marcantes da chegada da estação, que é o ipê-amarelo. “É fundamental entendermos a importância das árvores nas áreas urbanas, porque elas abastecem o lençol freático de água, reciclam o ar, deixam o ambiente mais úmido e a paisagem mais bonita”, comentou, em nota da assessoria de governo, a agente de fiscalização Anelise Padovani. Sem tanta água – O papel da natureza, que se torna mais visível com a estação, também envolve questões como os recursos fundamentais para todos os seres vivos, como a água. Em nota da sexta-feira (15), a DAE informou o acionamento das bombas de captação de até 1,7 mil litros por segundo no rio Atibaia, que abastece as regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas, para manter a represa no rio Jundiaí-Mirim. Em outras palavras, a cidade não tem água própria em nível suficiente para seu abastecimento normal. A conservação do “cinturão verde” rural e ambiental ao norte e ao sul da área urbana do município é assim condição essencial para o futuro da cidade, não apenas pela água - mas pela sua vida de biodiversidade, de clima e de identidade cultural da comunidade – também partes dos potenciais de turismo. Mas basta o primeiro fator como ingrediente essencial da vida e da própria autonomia coletiva em relação aos mananciais da megametrópole. Nova mobilidade – A coincidência da data com o Dia Mundial Sem Carro e com o Dia Municipal do Ciclista (aprovado em novembro do ano passado) passou sem até mesmo brancas nuvens. Mas os movimentos relacionados ao setor dos ciclistas, como o Pedala Jundiaí, aproveitam para preparar uma cobrança sobre metas específicas para os próximos quatro anos no PPA 2018-2021. Uma leitura mais atenta indica números de apenas 250 metros quadrados de ciclovias para esse período no projeto enviado pela Prefeitura aos vereadores, mas isso pode ser apenas uma falha. A cobrança deve ser feita na audiência pública do PPA, prevista para a noite do dia 9 de outubro na Câmara. O grupo também considera viável um trabalho participativo com ciclistas urbanos para avaliar possíveis ciclorrotas compartilhadas, alternativa de custo mais baixo em vias de baixa velocidade que as ciclovias e que podem ser implantadas em paralelo, a partir da experiência cotidiana dos usuários no dia a dia. Nos trens – Na região do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) também é possível o uso de bicicletas nos trens da CPTM entre Jundiaí, Várzea Paulista e Campo Limpo. As bicicletas dobráveis, desde que em bolsas, podem ser transportadas em qualquer horário. As comuns podem usar, até quatro por vez, o último vagão depois das 20h30 de segunda a sexta, a partir das 14h no sábado e aos domingos e feriados em qualquer horário. Saiba mais em https://www.cptm.sp.gov.br/sua-viagem/bicicletas-CPTM/Pages/Ciclista-Cidadao.aspx Em São Paulo –  Na capital, a data vai ter uma ação inédita da Prefeitura com o fechamento para veículos de passeio e motocicletas das ruas Boa Vista, Líbero Badaró e Viaduto do Chá, no centro histórico paulistano. O objetivo é incentivar o deslocamento a pé, por transporte coletivo ou de bicicleta. Essa é uma das atividades dentro da chamada Semana da Mobilidade (http://semanadamobilidade.prefeitura.sp.gov.br/). E a cidade também anunciou planos de concessão futura a 10 mil bicicletas de aluguel.  Passeios em grupo em Jundiaí – Na cidade existem passeios organizados em grupo. Na The Bikes o pedal noturno acontece sempre às quartas, a partir das 19h30, com saída em frente da loja (rua do Retiro, 860). O nível é intermediário, ou seja, pra quem já consegue pedalar de 35 a 40 quilômetros a uma velocidade média de 12 a 17 km/h. Aos sábados, a saída ocorre às 15h30, com circuito médio de 20 a 30 km.   A Mega Bikers faz dois pedais semanais, iniciante com aproximadamente 20 quilômetros e intermediário 40 quilômetros, às terças e quintas saindo as 19h30 da loja na avenida 9 de julho, 1911. Aos sábados pela manhã, a saída acontece às 9h. Na Keep’s Bike, do Eloy Chaves, os pedais da loja são realizados às terças e quintas saída as 19h30. Avenida Benedicto Castilho de Andrade, 1330. Aos sábados, são pedaladas matinais mais leves, com distância aproximadamente  de 30 km a partir das 8h30.. Ciclovia Musical – E uma outra iniciativa de valorização das bicicletas, desta vez com um roteiro repleto de atrações musicais ao longo do percurso, é a Ciclovia Musical prevista para o dia 1 de outubro na cidade. Saiba mais em https://www.facebook.com/events/477983159243987