As nove novas caras públicas da cidade

Não dá pra dizer que todos os nove nomes anunciados nesta quarta-feira (14) pelo prefeito eleito Pedro Bigardi para compor o secretariado são desconhecidos. Muitos, realmente, não são.

Mas nenhum deles ocupou ainda uma função pública na cidade – o que também não é algo necessariamente ruim. Apenas diferente. Como é diferente o governo Bigardi.

Dos nove nomes apresentados pelo prefeito eleito, três são empresários: Marcelo Cereser, Cristiano Lopes e Marcos Brunholi.

Cinco são advogados: Aguinaldo Leite, Denis Crupe, Edson Aparecido, José Pires e Jamil Yatim.

E um é publicitário: Cristiano Guimarães, justamente o coordenador da campanha vitoriosa de Bigardi.

Cristiano que, digamos, não é uma celebridade ainda, pode colocar no currículo o feito de ter derrotado o poderoso Duda Mendonça em uma campanha política.

Sua missão, como Secretário de Comunicação, será fazer com que a mensagem da nova administração pública chegue aos confins da cidade.

Seu plano é usar muito (como fez durante a campanha) as redes sociais e a forte blogosfera jundiaiense.

Na sua visão, ao trabalhar integrado de forma capilar com a sociedade poderá sentir o pulso e trazer para a Prefeitura informações valiosas.

No time dos empresários, um se destaca não apenas por ser empresário, mas por ter uma invejável coleção de títulos nos campeonatos de motocross.

Poucos jundiaienses não ouviram ainda falar de Cristiano Lopes.

Durante anos foi destaque das páginas esportivas dos jornais. É, indiscutivelmente, um campeão.

Mas ele mesmo acredita que a principal experiência que vai usar no comando da Secretaria de Esportes será a de empresário.

Com sua visão de vencedor, pretende incluir Jundiaí no calendário de grandes eventos nacionais e internacionais. Ele sonha alto.

Outro do time dos empresários e também muito conhecido é Marcelo Cereser, herdeiro da tradicional família Cereser e por nove anos diretor do CIESP. Foi um dos fundadores do grupo de jovens empresários locais.

Diretor-Superintendente da Castelo Alimentos e Conselheiro da Viti Vinícola Cereser, Marcelo disse que vai continuar nas empresas enquanto atua como Secretário De Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia.

Seu desafio é trazer a ciência e a tecnologia para o desenvolvimento econômico.

Completando o grupo de empresários está Marcos Brunholi, de outra tradicional família do bairro do Caxambu.

Marcos, à frente da Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Turismo Rural vai poder colocar em prática a experiência adquirida desde os 14 anos, quando começou a trabalhar nas propriedades da família.

Dos cinco advogados indicados para secretarias, talvez Denis Crupe seja o mais lembrado.

Filho de Osmil Crupe e neto do lendário comendador José Crupe, Denis integra a equipe de transição do governo e já sente, na prática, o dia a dia da administração.

Ao lado de Durval Orlato – coordenador da equipe e vice-prefeito eleito – e Dinei Pasqualini, é dele a responsabilidade de esmiuçar as três pastas gigantes de documentos entregues pela atual administração.

Sua missão como secretário de Administração vai ser buscar a agilidade que Pedro Bigardi quer para as ações de governo.

Os outros quatro advogados que completam o time anunciado por Bigardi são menos conhecidos do público.

Aguinaldo Leite, embora jundiaiense, trabalha desde 2008 na Prefeitura de Porto Feliz. Seu foco na Secretaria de Serviços Públicos, a princípio, vai ser enfrentar o problema do lixo e da Lei de Gestão de Resíduos Sólidos.

Leite participou da elaboração da lei e sabe que Jundiaí vai precisar de um plano estratégico muito bem elaborado para dar destinação correta às mais de 400 toneladas de lixo produzidas diariamente.

José Pires, que vai responder pela Casa Civil, tem pouca tradição na cidade, onde mora há pouco tempo. Sua proximidade é com Bigardi, de quem foi chefe de gabinete na Assembleia Legislativa.

Seu primeiro trabalho é costurar a base política de apoio na Câmara Municipal e garantir a presidência da casa para Gerson Sartori.

Edson Aparecido da Rocha vai, finalmente, trabalhar na cidade onde mora há 37 anos. Secretário de Negócios Jurídicos em Várzea Paulista, assume a mesma pasta em Jundiaí.

Na visão dele, Jundiaí, embora maior, é mais bem estruturada e conta com um quadro de funcionários preparados. Seu foco inicial é a segurança jurídica do município. Garantir que a cidade tenha uma transição sem sobressaltos.

Jamil Yatim, que estará frente ao DAE, foi o único dos secretários que não compareceu ao anúncio na tarde desta quarta-feira. Ele é irmão de Jorge Yatim, atual Secretário de Agricultura e Abastecimento.

No momento, exerce o cardo de diretor administrativo e financeiro da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e esta vai ser sua primeira participação na administração pública de Jundiaí.

Essa, por enquanto, é a cara do novo governo Bigardi.

O prefeito eleito promete completar seu secretariado até o final do mês ou, no máximo, no início de janeiro.

Por enquanto, a ordem aos escolhidos é: preparem seus planos de ação que na próxima sexta-feira (23) tem reunião.