Ato político das alças reforça campanha tucana

Com um convite pessoal ao ex-prefeito André Benassi (tio de candidato adversário nas eleições municipais) e um aceno ao presidente da Câmara dos Vereadores, Gustavo Martinelli (que esteve ausente na recente visita do vice-governador), o prefeito Luiz Fernando Machado buscou no ato política de inauguração das alças da avenida Nove de Julho na rodovia Anhanguera um momento de rearticulação tucana. “Não é hora de disputar autorias, mas celebrar os avanços construídos em diversos momentos, inclusive pelos trabalhadores da obra”, afirmou. Até mesmo o ex-secretário de Obras, o deputado estadual Junior Aprillanti (PSD), foi citado dentro dessa lógica – obviamente sem envolver o ex-prefeito Pedro Bigardi, que no primeiro semestre do ano passado lançou com o governador o início das obras (que ainda terão mais duas fases até 2018). Tanto o prefeito Luiz Fernando Machado como o deputado federal Miguel Haddad destacaram a linha atual de marketing da pré-campanha de Alckmin, que busca alterar baixa nas pesquisas com a imagem de controle fiscal e investimento em obras como um contraste com outros estados também usada em inserções de mídia. A inauguração das alças da primeira fase do complexo, assim como de fábricas modernas da Pochet do Brasil e Varian Medical Systems, tiveram atos de lançamento das obras no ano passado. Mas a gestão anterior é citada apenas no contexto da crise orçamentária, como motivo para a queda da capacidade de investimentos municipais a praticamente zero de acordo com a atual administração. A busca de reforços na articulação tucana, que envolveu também o batismo do complexo com o nome do ex-prefeito Ary Fossen, representado pela viúva Marialice, ocorre em meio ao racha nacional do partido gerado pelas alas a favor e contra a permanência no governo Temer. Com a disputa, o presidenciável Alckmin recebeu a possibilidade de antecipar o caso assumindo antes o comando e a pacificação do partido, em dezembro. Na dimensão local, as alas tucanas mais progressistas ou conservadoras também fazem sua disputa de influência nos bastidores. Com proximidade ao olhar de negócios, o partido tem forte presença em setores como o imobiliário em discussões como as regras do Plano Diretor (veja matéria sobre o tema).   O discurso do prefeito Luiz Fernando Machado, claro, não indica diretamente nenhuma dessas possibilidades. No Dia da República, ele ressaltou que o dinheiro para obras como a inaugurada não vem de nenhum político – mas do bolso de cada cidadão. “Não é um ato político, mas um reconhecimento claro daquilo que temos que fazer. Quando ouço em outros lugares um elogio ao nosso sistema de água e saneamento, tenho que lembrar de tantos que construíram isso”, disse. O complexo total tem investimento estimado em R$ 200 milhões, oriundos dos pedágios da concessionária CCR AutoBan, e inclui ainda ajustes no trevo da avenida Jundiaí, uma outra passagem sobre a rodovia entre a avenida Osmundo Pellegrini na região do Retiro e a nova avenida do Córrego das Walquírias  e melhorias na marginal norte. Os investimentos complementares da cidade, além dos já realizados na desapropriação de áreas, serão feitos com um empréstimo de R$ 24 milhões no programa Pró-Transporte. As alças inauguradas na quarta-feira (15) eram previstas desde a transferência da Rodoviária da região central, em 2005. Um detalhe é que receberam preparação para integrar a rede cicloviária da cidade. Na foto de abertura, as novas alças da Via Anhanguera (foto CCR Autoban) e acima o prefeito Luiz Fernando Machado discursa no ato de inauguração da obra (foto da assessoria de Imprensa da Prefeitura).