Bigardi condenado por improbidade vai recorrer. “É um absurdo”.

Onze dias após deixar o comando do Executivo, o ex-prefeito de Jundiaí Pedro Bigardi (PSD) foi condenado por improbidade administrativa por ter contratado cerca de 300 pessoas em cargos de comissão.

O pedido foi feito pelo Ministério Público e a condenação dada pelo juiz da Vara da Fazenda Pública de Jundiaí, doutor Gustavo Pisarewski Moises.

“É um absurdo total”, disse Bigardi. “Os cargos comissionados sempre existiram e foram criados por outros prefeitos. Quando assumi extingui 105 cargos. Fui o único a tomar esta atitude. Nomeei cargos em número menor que os outros prefeitos. Fiz tudo isso e o condenado sou eu. Vou recorrer, é claro.”

Segundo ele, as contratações foram efetuadas de acordo com autorizações legislativas vigentes, sem qualquer vício de ilegalidade ou inconstitucionalidade.

“Elas ocorreram como vinham sendo feitas nas gestões anteriores. Se improbidade houvesse, seria por parte daqueles que criaram os cargos e os preencheram ao longo de mais de 20 anos.”

Em sua gestão, Bigardi realizou 91 concursos públicos, dos quais 32 ainda estão em execução. Somente em 2013, 867 servidores de carreira foram nomeados. “Isso demonstra a boa-fé e regularidade na forma de provimento dos cargos públicos, de acordo com o ordenamento constitucional”, completa ele.

O magistrado classificou como irregulares as contratações de assessores nos níveis 3, 4, 5 e 6 (em geral, funcionários com cargos de confiança do prefeito, que auxiliam os secretários), condenando Bigardi e tornando-o inelegível por três anos.  

A condenação é em Primeira Instância e Pedro Bigardi pode recorrrer da decisão.

Deixe um comentário