As empresas prestadoras de serviço vão poder trocar moedas (por exemplo Dólar e Euro) em máquinas de autoatendimento, em operações de até US$ 3 mil, de acordo com decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN) anunciada pelo secretário executivo do Banco Central, Geraldo Magela Siqueira.

A medida foi autorizada em reunião eletrônica que o CMN realizou nesta quinta-feira (26), mas sua efetivação depende de resolução para disciplinar o câmbio manual, que vai permitir também a figura do correspondente cambial. Segundo Siqueira, a operação será de total responsabilidade da empresa contratante.

A partir de agora, qualquer pessoa jurídica, independentemente do setor, poderá fazer o câmbio como correspondente. “Até uma padaria”, disse o secretário-executivo do BC, Geraldo Magela Siqueira.

O objetivo é simplificar as operações cambiais de pequeno valor e oferecer mais alternativas de acesso para troca de moedas, tanto por turistas estrangeiros quanto por brasileiros que vão viajar para fora do país e, hoje, dispõem de número limitado de agências bancárias para fazer o câmbio.

As operações terão que ser feitas mediante a identificação do cliente. Segundo Siqueira, com a medida, o CMN quer permitir a criação de uma rede cambial compatível com os centros turísticos e ainda fazer com que o país ofereça facilidades de atendimento também ao público esperado nos grandes eventos esportivos que o país sediará nos próximos anos.

Stênio Ribeiro, da Agência Brasil