Calçadão recebe ato contra reforma da Previdência às 9 horas

O centro histórico de Jundiaí recebe nesta sexta-feira (31) uma manifestação contra a reforma da Previdência prevista a partir das 9 horas no calçadão.

A iniciativa é do Movimento Intersindical Unificado de Jundiaí, que reúne 16 entidades e sindicatos de trabalhadores da cidade, e funciona como um aquecimento do ato marcado para São Paulo, para onde muitos participantes seguem a partir das 14 horas.

A reforma previdenciária é uma das prioridades de Michel Temer, que assumiu o governo federal em 2016 depois do afastamento da presidente Dilma Rousseff. Entre seus pontos principais da proposta original estão a idade mínima de 65 anos e tempo de contribuição de até 49 anos, iguais para homens e mulheres, entre outras mudanças.

O principal argumento é a alteração etária da população, mas seus críticos apontam desvios do orçamento do setor.

Os atos estão sendo feitos em todo o país e os sindicalistas lembram que outra reforma, a trabalhista, aconteceu com a votação da lei da terceirização completa das empresas há poucos dias. Em São Paulo, a concentração da tarde deve ocorrer na avenida Paulista.

Além das manifestações, o movimento também tem realizado reuniões com parlamentares para alertar sobre riscos do projeto de reforma. Um dos encontros ocorreu em Jundiaí com o deputado federal Miguel Haddad, que votou favoravelmente à terceirização e mas afirmou ainda estar analisando o projeto da reforma da Previdência.

 

Na foto de abertura, o ato realizado contra a Reforma da Previdência. Sindicalistas voltam às ruas nesta sexta (31)

Comments are closed.