Daniela Câmara: “O cidadão inserido no planejamento”

Quando Daniela Câmara olha para a cidade a coisa que mais chama sua atenção é a falta de cuidado.

“A cidade está mal cuidada. O cidadão jundiaiense trabalha muito. É uma cidade rica. Está bom? Está. Mas pode ficar excelente. A gente não está trabalhando com o bom, estamos trabalhando com o excelente”.

Daniela, indicada para ocupar a Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente do novo governo Bigardi, participou da revisão do Plano Diretor e da Lei 417 (que trata das áreas de proteção ambiental), como diretora do Instituto dos Arquitetos do Brasil.

Conhece a cidade e boa parte dos planos que existem para ela. Mas acredita que apenas com o trabalho junto à equipe de transição vai conseguir verificar como está a cidade realmente.

Ela quer entender o que já está em andamento e, especialmente o que já foi planejado para o futuro.

“Hoje não há uma transparência na Secretaria. Então, você não sabe o que vai acontecer efetivamente”.

Segundo Daniela, esse é o primeiro passo.

Entender quais são os projetos públicos e os projetos privados já aprovados pela Secretaria. E assim entender, ter o domínio de como está a cidade hoje para então pensar o planejamento futuro.

Na visão dela, o importante é o planejamento urbano voltado para o cidadão.

“O cidadão participar do projeto, ser inserido no processo de planejamento urbano”.

Para Daniela, o cidadão “é o dono da cidade”. Por isso vai ser inserido de forma democrática e transparente no planejamento da cidade.

“Para que as pessoas possam se apropriar da cidade elas precisam participar do processo”.

Essa jundiaiense, de 33 anos, casada, está ligada na falta de espaços públicos na cidade.

“Jundiaí é muito carente de espaços públicos de qualidade. Você não tem exatamente um lugar onde as pessoas se encontram”.

E diz que a região do Museu Ferroviário pode ser muito melhor aproveitada. Mas olha especialmente para a região central.

“O Centro vai ser tratado com carinho. Também a Serra do Japi e a Zona Rural serão tratadas adequadamente como merecem”.