O principal desafio do novo secretário de Administração, Denis Crupe, é diminuir os custos da Prefeitura para que haja melhor capacidade de investimento.

Integrante do governo de transição, Crupe tem conversado com o atual secretário de Administração, Clóvis Marcelo Galvão, para compreender melhor o funcionamento da pasta que assume a partir de 1º de janeiro.

A Secretaria de Administração responde pelas licitações e compras, leilões de bens públicos, manutenção da frota do Paço Municipal, documentação e arquivo, bens mobiliários e imobiliários, além de apoio técnico e administrativo às secretarias.

Na visão de Denis Crupe, o caminho para a redução de custos é ampliar o número de fornecedores.

“Na verdade eu acho que a gente tem que ampliar cada vez mais o número de fornecedores para que se tenha possibilidade de preços menores”.

Crupe pretende ampliar também o número de fornecedores para evitar que determinadas áreas fiquem restritas à mesmas empresas por um longo prazo.

“Temos que revisar alguns processos. Abre oportunidades para propostas melhores”.

Para o secretário, a forma de escapar dos cartéis de fornecedores que muitas vezes atuam em conjunto em diversas prefeituras do Brasil forçando para cima os preços de concorrências é facilitar o cadastro de novas empresas.

“O grande problema hoje é você ter no Compra Aberta [o site de compras da Prefeitura] poucas empresas cadastradas. E algumas com dificuldade de se cadastrar”.

Crupe pretende revisar o sistema.

“Temos que melhorar o sistema eletrônico. Hoje ele é feito pela própria da Cijun [Companhia de Informática]. Um sistema que não estou desqualificando, até nem posso desqualificar por não conhecer profundamente, mas queremos conhecer outros sistemas”.

A Secretaria de Administração pretende trabalhar junto com a Cijun buscando a evoluçãod o Compra Aberta.

“O Gilberto [Gilberto Novaes, presidente indicado da Cijun] vai ajudar a gente nisso, no sentido de abrir e mostrar o que existe de melhor”.

Segundo Crupe, há muitas cidades que usam o sistema do Banco do Brasil, “que é um sistema amplo que nós vamos conhecer”.

“E óbvio, a questão de tratar com lisura o processo do começo ao fim”.