Desembargador ameaça entrar na Justiça para defender Plano Diretor

O desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Claudio Levada, publicou uma veemente defesa do Plano Diretor participativo em sua página no Facebook nesta terça-feira (14) e ameaçou recorrer à Justiça, caso seja necessário, para defender o meio ambiente e os mananciais da cidade.

“O que querem é, secundarizando a agricultura do que é a Terra da Uva — não dos prédios ou loteamentos –, acabar com as zonas rurais para lotearem e construírem ao bel-prazer, tornando Jundiaí mais e mais uma cidade dormitório de São Paulo e mesmo de Campinas”, disse Levada.

claudio-levadaO desembargador jundiaiense, que tem quase cinco mil seguidores no Facebook, fez um alerta aos vereadores que, no momento, discutem o projeto de lei do Plano Diretor participativo.

Nesta quarta-feira (15), haverá a segunda audiência pública da Câmara Municipal às 19 horas.

“Saibamos ler o que seriam as desejadas emendas ao Plano Diretor: atender às pressões de loteadores, construtores e outros empresários do ramo imobiliário, interessados em lucro, somente, mesmo que para isso seja preciso transformar Jundiaí em uma nova Osasco ou Diadema”.

Para Claudio Levada, a vocação da cidade, no entanto, sempre foi agrícola, ao que se podem agregar turismo ecológico, valorização da gastronomia, dos vinhos artesanais, entre outras atividades.

Ele considera um absurdo o estudo realizado pela Consultoria Tendências por encomenda do Fórum Regional de Comércio, Indústrias e Serviços de Jundiaí (FORCIS).

“É um absurdo o desprezo que um parecer encomendado (pagando, defende-se o que for) procura fazer crer, de que nossa agricultura é insignificante e relevante, mesmo, são indústria e comércio”.

E completa:

“Parecer frio, burocrático, de quem não conhece a história de Jundiaí e está de mãos dadas com a especulação imobiliária”.

O desembargador pede atenção aos vereadores para que atendam aos interesses da cidade e não de grupos econômicos.

“Os senhores foram eleitos para proteger a cidade e não destruir seu padrão de vida”.

Claudio Levada alerta que, se for preciso, poderá acionar o Judiciário com ações que garantam a proteção do meio ambiente e dos mananciais da cidade.

“Não vou hesitar. E não estou sozinho, claro!”.

No final de sua publicação no Facebook, Levada, que é também Coordenador de Prática Jurídica da Faculdade de Direito Padre Anchieta, dá um voto de confiança aos vereadores.

“Por certo nosso Legislativo vai refutar a óbvia tentativa de lobby dos grupos econômicos”.

E pede aos cidadãos para que pressionem a Câmara Municipal.

“Fiquem de olho, jundiaienses que querem manter, ao menos, nosso IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) arduamente conquistado. Não permitam falcatruas!”

No índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) do Estado de São Paulo, Jundiaí está em segundo lugar para cidades com mais de 300 mil habitantes, e em quarto lugar no ranking geral entre os 645 municípios do Estado.

 

Leia mais

“É um equívoco”, diz prefeitura sobre estudo encomendado pelo FORCIS

Para IAB, novo Plano Diretor rompe com modelo de desenvolvimento

Diretora critica forma “desesperada” de desqualificação do Plano Diretor

Para presidente do IAB, Plano Diretor não contempla questões importantes

“A habitação não pode ser encarada como impacto negativo”, diz Proempi