Uma das formas de aumentar a baixa audiência e a relevância da TVe para a comunidade pode ser ampliar os canais de distribuição via web. Atualmente, o sinal da TVe é distribuído apenas por tevê a cabo.

“O uso da web hoje em dia é fundamental”, disse o novo superintendente da Fundação TVe, jornalista Thiago Godinho.

Godinho tem pela frente a espinhosa missão de reformular totalmente a grade de programação e estruturar a TVe que, ao longo de seus 16 anos de existência tem apenas cinco funcionários de carreira.

“São cinco funcionários concursados e 40 comissionados”, disse Godinho, anunciado para o cargo nesta sexta-feira pelo prefeito eleito Pedro Bigardi. “Vamos ter que fazer um plano emergencial”.

É possível manter a TV no ar com apenas cinco funcionários?

“É possível com reprises. Mas não dá para fazer nada novo”, explicou Godinho, que iniciou a carreira na TVe. “Conheço todos os cinco funcionários. já trabalhei com eles”.

Sua primeira providência como superintendente vai ser se reunir com a atual ocupante do cargo, a também jornalista Mônica Gropelo. “Eu conheço e respeito a Mônica. Vou conversar com ela”.

Pedro Bigardi quer que a TVe passe por uma “oxigenação” e, por isso, Godinho vai fazer uma reformulação total na grade da emissora.

“Vamos fazer uma renovação grande. É um determinação do Pedro. Vamos investir em jornalismo comunitário e prestação de serviço”.

Além do investimento na web – “o sistema já existe, mas está pouco aproveitado”, diz — o novo superintendente pretende, como já afirmou o secretário de Educação, Durval Orlato, colocar aparelhos de tevê nos terminais de ônibus.

A Fundação TV Educativa é subordinada à Secretaria de Educação, mas Godinho pretente fazer um trabalho conectado com as secretarias de Comunicação, Esportes e Cultura.

“Temos que enxergar novas possibilidades”.