Liminar tira programa de Cláudio Miranda do ar. Ia falar do CQC

claudio-miranda

Matéria atualizada às 12h12 do sábado (8).

Uma liminar concedida pela juiza Valéria Lagrasta, do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, ao deputado federal Luiz Fernando Machado, candidato a prefeito pela coligação Avançar e Fazer Futuro, impediu a veiculação do programa eleitoral do candidato Cláudio Miranda (foto), do PMDB, na noite desta sexta-feira (7).

Mas além do programa de Cláudio Miranda, também deixaram de ser veiculados os programas dos candidatos Pedro Bigardi, da coligação Jundiaí para Todos, e Ibis Cruz, do PTN. Segundo fontes da Câmara Municipal de Jundiaí, responsável pela geração da propaganda política na televisão, não houve tempo para que o material fosse editado, uma vez que a liminar chegou pouco antes do início das transmissões.

E assim, os programas de Bigardi e Ibis, que seriam veiculados logo após a propaganda de Cláudio Miranda, deixaram de ser exibidos.

O assessor jurídico de Pedro Bigardi, Denis Crupe, vai entrar com um requerimento ao TRE pedindo que o programa seja exibido neste sábado, logo após a propaganda eleitoral dos candidatos a vereador. O requerimento toma por base a Resolução 23.378, segundo a qual, se por algum problema um programa deixar de ser exibido ele deverá ser veiculado no próximo horário eleitoral, logo após as transmissões do horário político.

Segundo ele, a resolução não deixa claro se o programa será exibido hoje ou na segunda-feira — quando vai ao ar o programa dos candidatos a prefeito.

O candidato Ibis Cruz disse que não vai tomar qualquer atitude. Diz que prefere se concentrar no lançamento de uma revista, na segunda-feira, onde vai mostrar os grande problemas da cidade: malha viária e saneamento. “Não se pode pensar uma cidade como Jundiaí sem uma usina de tratamento de lixo”, afirmou.

A propaganda de Cláudio Miranda já havia sido exibida à tarde e trazia uma reportagem reproduzindo parte do programa CQC, da Rede Bandeirantes, que denunciou o deputado Luiz Fernando por estar fazendo campanha e continuar recebendo os salários de deputado mesmo sem comparecer às sessões. Luiz Fernando se licenciou do cargo na semana passada, depois da exibição da reportagem.

Segundo o coordenador de campanha de Cláudio Miranda, José Joaquim Rodrigues Filho, o programa mostrava apenas o que já havia sido veiculado pelo CQC, com alguns comentários do próprio Cláudio Miranda e de pessoas ouvidas na rua.

“Nós vamos pedir a cassação da liminar o mais rápido possível, pois apenas reproduzimos aquilo que já havia sido divulgado”, explicou.

O assessor de comunicação da campanha de Pedro Bigardi, Thiago Godinho, lamentou o incidente. “O Pedro Bigardi, e também o Ibis Cruz, foram prejudicados sem terem nada a ver com o caso”.

Segundo o relatório de presença da Câmara dos Deputados, de 22 de maio a 6 de junho, o deputado Luiz Fernando Machado ficou de licença médica para tratamento de saúde e voltou a participar das sessões de 12, 13 e 19 de junho. Faltou então das sessões dos dias 26 e 27 de junho para Atendimento a Obrigação Político-Partidária e marcou presença no plenário em 3 de julho.

Desde então não compareceu mais às sessões.

Veja reportagem do Oa
Depois de denúncia, Luiz Fernando pede licença da Câmara

A reportagem do CQC

O programa de Cláudio Miranda, que está no Youtube

Comments are closed.