Luiz Fernando e a complicada tarefa de montar uma equipe de governo

Na terça-feira, 13, no dia em que a Câmara Municipal votou e aprovou o orçamento de R$ 2,1 bilhões para 2017, que o Senado aprovou o texto-base da PEC do Teto de Gastos, e os funcionários do Hospital São Vicente iniciaram uma mobilização pelo recebimento do 13º, o prefeito eleito Luiz Fernando Machado esteve no Jardim Botânico para uma sessão de fotos solicitada por um jornal local. Em sua página no Facebook, o prefeito eleito registrou o fato (foto acima) e lembrou o aniversário da cidade, comemorado nesta quarta, 14 de dezembro. "Estamos reorganizando a administração, com atenção à qualidade dos serviços públicos e dentro da ideia de uma estrutura mais ágil e que atenda melhor as pessoas nas áreas essenciais, como a saúde". Quase na mesma hora, funcionários do Hospital São Vicente organizavam uma mobilização exigindo o pagamento da segunda parcela do 13º salário -- um impasse entre a administração atual e a direção do hospital que cairá no colo do futuro prefeito. Até o momento, Luiz Fernando Machado não deu pistas de quem estará no comando do governo, a não ser pela indicação dos membros da equipe de transição, José Antonio Parimoschi à frente. Mas o que se sabe nos bastidores é que não está sendo simples contemplar os aliados e, ao mesmo tempo, garantir uma administração mais enxuta. A duas semanas da posse, a cidade não sabe ainda como será a nova organização da Prefeitura e nem quem estará à frente. Um dos pontos mais delicados para Luiz Fernando é conseguir acomodar os aliados do Partido Verde. Já explicou que poderá ficar à frente da Secretaria da Saúde nos primeiros meses de governo, acumulando os cargos de prefeito e secretário. Seu vice, Antonio de Padua Pacheco, é médico, mas Luiz Fernando não pretende dar a ele o comando da Saúde, como já disse anteriormente. Outro nome forte do Partido Verde é Eduardo dos Santos Palhares, ex-presidente do partido, e que já participou de diversas administrações tucanas. Foi presidente da DAE e também responsável pela Fumas. Há rumores, não confirmados por fontes oficiais, de que ele voltaria ao DAE. No PSB, outro partido da coligação que elegeu Luiz Fernando Machado, outro nome muito falado é do professor Oswaldo José Fernandes. É o atual presidente do Diretório Municipal do Partido em Jundiaí e membro titular do Diretório Estadual do Partido em São Paulo. Foi um dos articuladores, discreto mas presente, da vitória da coligação. Foi secretário municipal de Educação de Jundiaí por 14 anos, doze deles seguidos (1983-1984 e de 1993 a 2004). São apenas exemplos das forças em jogo para a montagem do secretariado. Mas há muito mais. Luiz Fernando precisa de um time com a cara dele. Se tiver em seu secretariado apenas membros de antigos governos tucanos, verá cair por terra seu slogan "da vez do futuro". Se exagerar na dose de austeridade, não conseguirá acomodar os aliados de campanha. Mas se não enxugar a máquina pública, não terá como administrar o orçamento. Fiz algumas perguntas para a assessoria do candidato. Quando será a divulgação dos novos secretários (ou coordenadores). Eu havia entendido que o anúncio aconteceria na quinta-feira, dia 15. O cronograma da transição governamental – ainda em andamento - é permeado pelo anúncio dos coordenadores das plataformas de gestão, previsto para ocorrer nos próximos dias. Quando será divulgado um diagnóstico por parte da equipe de transição? Entre novembro (dias 11, 18 e 25) e dezembro (dias 02 e 09), foram realizadas cinco reuniões com membros da equipe de transição da administração atual para levantar dados, informações e números oficiais. Verificamos, a partir de todas as informações coletadas, a necessidade de requisitar informações mais específicas das finanças municipais, como é o caso dos empenhos da folha de pagamento dos servidores para janeiro de 2017. Além disso, estão ocorrendo reuniões setoriais com as respectivas equipes técnicas. Em breve serão anunciadas algumas medidas e também ações a serem estruturadas para compor o Plano de 100 dias, com medidas de contenção de despesas e de ajustes no orçamento, para trazê-lo novamente para o limite da arrecadação, e para voltarmos a praticar a austeridade com o dinheiro público em Jundiaí. Se possível, preciso de uma palavra do prefeito eleito a respeito da organização da equipe de governo. E uma avaliação, mesmo que preliminar, do que o espera no início de janeiro. A equipe de transição está concluindo estudo sobre uma nova estrutura administrativa a ser implantada a partir de janeiro. Um formato que será mais enxuto, e com foco nas entregas e nos resultados. Importante ressaltar que a redução dos gastos excessivos com cargos comissionados irão permitir investimentos na melhoria dos serviços públicos, a começar pela saúde. Vamos trabalhar com plataformas de gestão, que vão proporcionar mais integração entre as áreas de governo e, desta forma, reduzir o tempo de atendimento ao cidadão. A tecnologia da informação também será usada de forma intensa para melhorar os processos internos e tornar os serviços mais eficientes (uso do celular para marcar consultas, exames, fazer matrícula, acompanhar o desempenho do aluno, etc). Não só para o mês de janeiro, mas para o mandato em si, nós vamos manter uma administração austera e técnica. Jundiaí precisa recuperar sua capacidade de planejar com eficiência e com foco no cidadão. Luiz Fernando será diplomado nesta sexta-feira A Justiça Eleitoral realiza nesta sexta-feira, 16, às 14 horas, a cerimônia de diplomação do prefeito eleito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, na Câmara dos Vereadores. O ato será presidido pelo juiz da 281ª Zona Eleitoral, Jefferson Barbin Torelli, que foi o responsável pelas eleições no município. A diplomação declara oficialmente quem são os eleitos e que estão aptos a tomarem posse no dia 1 de janeiro de 2017. Na ocasião, também serão diplomados o vice-prefeito, Antonio de Pádua Pacheco, e os 19 vereadores eleitos na cidade.