Mercadão da Ferroviários virou point. Hoje tem Edu Rocker

Se você for ao Mercadão da Ferroviários neste sábado (11) não vá estranhar umas figuras estranhas circulando por lá. Umas garotas com vestidos meio fora de moda e uns caras com uns cabelos engomados.

Pois é, sábado é dia do Edu Rocker Trio se apresentar na área central do Mercadão, que era da Cidade e agora é da Ferroviários. Garantia de um monte de gente que gosta de música circulando por ali.

Mas esse é apenas um aspecto da transformação positiva pela qual está passado o Mercadão. Desde que virou da Ferroviários, o mercado, inaugurado em 2006, vem se reinventando, ampliando seu mix de lojas e atraindo cada vez mais público.

O local tem vantagens — e falo porque esse é um lugar que costumo ir muitas vezes — como o estacionamento grátis e grande e um prédio muito bem estruturado, embora quente pra caramba nos dias de verão.

Mas sofria com uma política pouco amigável para lojistas, segundo eles mesmos contam. Mas aí veio uma nova energia e um pensamento ou pouco mais flexível — a não obrigatoriedade das lojas abrirem aos domingos, por exemplo — e aluguel a preços mais atraentes.

Vem dando certo.

A nova identidade e uma programação de exposições — a mais recente mostra os blocos de Carnaval da cidade — e música atraem um público que gosta de tomar umas e outras e comer bem.

E isso mercado tem de interessante.

Hoje em dia, apenas alguns restaurantes funcionam e ainda há espaço para pelo menos mais três no mezanino: um árabe que também serve comida brasileira, um português, um vegetariano muito concorrido e um que serve peixe, especialmente tilápias.

Acompanho de perto do vegetariano do Seu Carlos, um chinês mega boa praça, que funciona ao lado do mais novo integrante da tribo do Mercadão, a República das Tilápias. A convivência dos dois restaurantes que funcionam lado a lado é peculiar.

A pessoa pode pegar seu prato vegetariano no Seu Carlos e complementar com uma por porção de tilápias do vizinho. E quantas vezes é o próprio vizinho quem vem pegar um pastel (nem sempre apenas pro cliente) ou um suco para servir nas suas mesas.

Alegria de ver.

Na área central, onde acontecem os shows (agora também nas noites de quinta e sexta-feira) há um mix pouco usual, mas que funciona incrivelmente bem: uma loja de comida e outras coisas para animais, uma banca de frutas, um armazém gourmet que serve bebida e uma loja de rock, isso, de rock.

Eu, claro, gosto muito.

Dessas lojinhas que vendem camisetas de bandas e coisas relacionadas ao mundo do rock. É dali também que emanam essas ideias de trazer músicos e fazer as coisas acontecerem no mercado. Com a união dos comerciantes e a direção do Mercadão a coisa vem dando resultados.

Falo isso porque converso com o pessoal e vou sabendo das novidades.

E outra pérola do Mercadão, do meu parcial ponto de vista, é a coleção de vinil à venda na lojinha roqueira. Impossível não passar lá pelo menos para ficar fuçando em buscando encontrar aquele LP antigo que alguém emprestou e nunca mais devolveu.

E som de vinil, pra quem gosta, é maravilhoso.

Mas tem muito mais. Agora tem umas dessas lojas de costura rápida (já mandei arrumar umas calças lá e ficou bem bom), um armazém de comida natural top, uma loja de congelados vegetarianos e uma dessas lojas de games pra deixar os moleques pirados.

Como isso aqui não é propaganda (o Oa não aceita e não faz matéria paga de jeito nenhum), estou falando apenas o que sinto e percebo ali.

Meu conselho é: não acredite só no que estou falando. Vai dar uma volta por lá e confira você mesmo.

Sábado na hora do almoço é muito bom pois a partir das 11 horas tem Edu Rocker ou alguma outra atração de qualidade — vi uma dupla tocando rock das antigas esses dias que tava realmente ótimo.

A chave da transformação, segundo comerciantes com quem conversei, foi a direção e os lojistas perceberem que era preciso e possível mudar. Ampliar os horizontes e adequar o lugar às necessidades de clientes e lojistas.

Ainda há muitas lojas fechadas. Talvez seja uma oportunidade pra quem é do ramo.

Eu, que sou freguês, vou gostar de ver o lugar cheio.

 

Quer saber mais? Entra na página deles no Facebook.

https://www.facebook.com/MercadaodaFerroviarios/

 

Deixe um comentário