Nova gestão terá 7 coordenadores e 16 gestores no lugar de secretários

O prefeito eleito Luiz Fernando Machado disse nesta quinta-feira, em entrevista logo após a cerimônia de diplomação na Câmara Municipal, que seu governo terá sete coordenadores de plataforma e 16 gestores de entrega no lugar dos atuais secretários e diretores.

O objetivo, segundo ele, é diminuir os custos da administração pública e, ao mesmo tempo, focar o trabalho da Prefeitura nas necessidades da população.

“Nós vamos detalhar a plataforma de gestão na próxima semana, já com os nomes dos ocupantes de cada um dos lugares”, disse Luiz Fernando.

De acordo com o prefeito eleito, todos os serviços serão tratados de maneira única.

“Nosso projeto foi inspirado na experiência com administração pública e também nas melhores práticas da iniciativa privada”, explicou.

Segundo fontes consultadas pelo Oa, venceu a ideia da ala mais técnica do governo, que defende a configuração com sete coordenadores de plataformas. A criação de 16 unidades de entrega, no entanto, abre espaço para acomodar os aliados de campanha.

O critério para a escolha dos candidatos está sendo técnica. Luiz Fernando Machado quer uma equipe ágil e acostumada à gestão pública.

Está preocupado com a situação que vai encontrar a Prefeitura — ele fala de um possível déficit de R$ 20 milhões apenas na área de transportes — e em como resolver rapidamente dois pontos especialmente complicados: o transporte público, para o qual não existe subsídio suficiente definido em orçamento, e a saúde, onde a crise do Hospital São Vicente é apenas a parte mais visível.

Ao diminuir o número de interlocutores diretos, o prefeito eleito concentra o comando e pode ter a garantia de que as ações propostas sejam executadas segundo o plano.

Ao que tudo indica, o responsável pela transição de governo, José Antonio Parimoschi, experiente gestor que foi candidato a vice nas eleições de 2012 ao lado de Luiz Fernando, deve ocupar um lugar de destaque, algo como um supersecretário.

Parimoschi, citado por Luiz Fernando durante a cerimônia de diplomação, está em absoluta linha com o discurso dominante do PSDB local, estadual e nacional: é preciso uma administração pública com responsabilidade fiscal.

Provavelmente será o secretário de Finanças e coordenação de governo. Ou algo semelhante. O certo é que o comando das finanças municipais estará nas mãos dele. Luiz Fernando aposta na experiência dele para poder fazer o papel político sem correr o risco de ver a gestão naufragar por falta de recursos.

Foto de abertura by Lucas Castroviejo

 

Deixe um comentário