Tafarello apresenta propostas na Vila Hortolândia

Na noite de ontem (29) foi a vez do candidato a prefeito pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Paulo Taffarello, ser sabatinado no pinga fogo do Centro Comunitário da Vila Hortolândia (CCVH), em Jundiaí. Taffarello foi o segundo candidato a participar do evento, ele apresentou ao moradores do bairro propostas para habitação e infraestrutura, cultura, saúde, segurança, educação entre outros temas.

Em relação à habitação, Taffarello avaliou que o município foi prejudicado pela especulação imobiliária. “Nós temos que ter políticas públicas que priorizem as áreas periféricas da cidade, e não somente as zonas onde existem grandes empreendimentos imobiliários”, disse.

Para o transporte público, o candidato avalia que é necessário a criação de uma empresa pública de transporte. “O custo do transporte é extremamente alto. O sistema atual trabalha com as concessões e isso envolve o lucro das empresas. Nós buscamos a tarifa zero e sabemos que é possível, basta rever esses contratos com as empresas”, explicou.

Ao ser questionado sobre projetos para ampliação da esfera cultural do município, Paulo ressaltou que o seu partido apoia os coletivos culturais e que é necessário fomentar políticas de cultura dentro das periferias. “O PSOL apoia o artista local e os movimentos de ocupação, mas nós precisamos descentralizar a cultura. É necessário valorizar também os artistas que estão na periferia”.

Na área de saúde municipal, Taffarello criticou a atuação do Hospital Regional. “Não conheço ninguém que foi atendido no Hospital Regional, esse hospital não existe para nós”. Ele também acredita que a municipalização do Hospital São Vicente seria uma alternativa para melhorar o atendimento. “Existe uma política de convênios no município. O prédio do HSV é da Prefeitura, mas ainda existe muitos gastos com convênios que acabam gerando trocas de favores e cabides de empregos”. declarou.

 

Segurança e educação

Para a segurança municipal, o candidato do PSOL propõe reformas profundas no sistema atual. “Temos uma polícia autoritária e repressora, e a Guarda Municipal está seguindo o mesmo caminho. Nós temos outra perspectiva, o guarda municipal precisa ser comunitário, caminhar junto com a comunidade. Está dentro dos nossos planos a criação de uma secretaria municipal dos direitos humanos, e iremos atrelar a Guarda Municipal à essa secretaria”, explicou.

Taffarello criticou a infra estrutura e a forma de atendimento das creches do municipio. “Somos contra as políticas de convênios nas creches. O governo do PSDB começou com essa política e o governo Bigardi avançou nesse processo. Nós acabaremos com essas políticas, creches conveniadas geram a precarização do serviço prestado”. O candidato ressalta que a educação municipal precisa dar ênfase nas questões que envolvem diversidade. “Nós achamos fundamental o debate sobre a questão de gênero e também faremos uma formação continua dos professores. Um dos pilares do PSOL é formar cidadãos críticos”.