Para presidente do IAB, Plano Diretor não contempla questões importantes

O Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), Núcleo do Aglomerado Urbano de Jundiaí, entidade que abriga os arquitetos e urbanistas da região, já demonstrou descontentamento com o novo Plano Diretor em carta enviada à secretária de Planejamento e Meio Ambiente, Daniela da Camara Sutti, onde aponta as principais discordâncias dos arquitetos ligados ao IAB com o projeto de lei proposto.

Para IAB, novo Plano Diretor rompe com modelo de desenvolvimento

Em entrevista ao Oa, a presidente do IAB Jundiaí, Rosana Ferrari, destacou os pontos que considera mais frágeis no Plano Diretor.

“É um plano longo, que leva em conta o planejamento físico territorial e esquece questões importantes como a economia e a educação”.

Apesar do Plano ter sido discutido por mais de dois anos e por representantes de diversos setores da sociedade, Rosana afirma que ainda é preciso avançar mais em muitas questões. A ampliação da zona rural é uma delas.

“Ampliar a zona rural não significa proteger os mananciais, nem ampliar a produção rural. O papel aceita tudo. É preciso saber como isso será feito”, critica.

Entre os 102 delegados que participaram das discussões do Plano Diretor estavam representantes do IAB mas, para Rosana, o Plano não foi tão participativo como poderia ter sido.

“Muitas vezes tentei dar a minha opinião, mas o assunto já estava em consenso. Agora, nós do IAB, queremos ser ouvidos pelos vereadores. Eles estão com o projeto nas mãos e devem saber a posição de todos antes de aprovarem o novo Plano Diretor. Se vão aceitar nossos argumentos, não sei, mas devem ouvir”, completa Rosana.

Leia também

Diretora critica forma “desesperada” de desqualificação do Plano Diretor

A grande questão de fundo do Plano Diretor: A quem deve servir a cidade?

Equipe técnica detalha na Câmara pontos polêmicos do Plano Diretor