Prefeitura lança programa para reduzir fila de espera de exames e consultas

A Prefeitura lançou nesta sexta-feira, 10, o programa “Saúde em Dia”, que tem por objetivo reduzir as filas de espera de exames e consultas com especialistas.

O programa, segundo o gestor de Saúde, Vagner Vilela, é uma força-tarefa que pretende, em três meses (de fevereiro a maio) realizar 10.598 consultas nas especialidades com maiores demandas, além de 423.784 exames.

O valor total do programa é de R$ 1.144.000, aproximadamente o mesmo valor que seria destinado ao desfiles das Escolas de Samba, cancelado este ano pela Prefeitura.

De acordo com Vagner Vilela, a Unidade de Gestão de Saúde fez um levantamento da demanda de exames e consultas reprimidos de janeiro de 2016 ao mesmo mês de 2017 e a partir dos dados obtivos elaborou um plano de ação e um crononograma de atendimento.

Os pacientes estão sendo chamados pelas Unidades Básicas de Saúde, que farão o encaminhamento para as consultas e exames no Pronto Socorro de Ortopedia do Hospital São Vicente de Paulo, no Ambulatório Médico de Especialidades (AME) e no Núcleo Integrado de Saúde.

“O importante é que quem está na lista de espera espere. A Unidade Básica de Saúde vai entrar em contato. E quando for chamado compareça”, disse Vilela.

Segundo explicou, nas Unidades Básicas que já começaram a fazer o atendimento, o percentual de faltas foi de 15% nas consultas e 5% nos exames.

“É muito importante que as pessoas se comprometam, pois estamos fazendo um esforço muito grande para zerar as filas. É um mutirão de muitos médicos e especialistas. Contamos com a colaboração das pessoas”.

Atualmente, de acordo com a Unidade de Gestão de Saúde, 9.781 pessoas aguardam atendimento nas áreas de ortopedia, dermatologia, cirurgia geral, cirurgia vascular e pnenmologia.

O gestor de Saúde explicou quem o “Saúde em Dia” não vai competir com o atendimento de novos pacientes, pois trata-se de um esforço extra com objetivo de zerar as filas. Novos pacientes não ficarão no final da fila, segundo ele.

O prefeito Luiz Fernando Machado disse que o trabalho está contando com a participação voluntária de muitos médicos e outros profissionais de saúde, bem como fornecedores. O vice-prefeito Antonio de Padua Pacheco, que também é médico, vai participar do mutirão.

O gestor de Saúde explicou, no entanto, que por enquanto as cirurgias eletivas (não de urgência) deixarão de ser realizadas no Hospital São Vicente.

“Faremos isso para priorizar o atendimento de urgência de alta complexidade. Mas nosso objetivo é voltar a realizar esse tipo de cirurgia em março ou abril”.

O prefeito disse que esse trabalho começa a integrar o atendimento da cidade, uma vez que o Ambulatório de Especialidades fará parte do esforço conjunto. Ele afirmou também que o Hospital Regional deve ampliar sua participação no atendimento de Saúde da cidade.

Serão realizados exames de análises clínicas, tomografia, radiografia, ultrassonografia e duplex scan (doppler).

 

Deixe um comentário