Prefeitura promete entregar UPA Novo Horizonte este ano

Uma visita de gestores e representantes da comunidade ao pátio de obras da unidade de pronto-atendimento (UPA) Novo Horizonte 24 Horas confirmou nesta quinta-feira (16) verificou o andamento dos trabalhos.

“A planilha previa um índice de 12% neste momento, mas a avaliação mostra um avanço para 15% do andamento total”, comentou o engenheiro Rodrigo Fonseca Coutinho, da Secretaria Municipal de Obras.

A previsão de entrega da obra da UPA Novo Horizonte 24 Horas (que envolve também Almerinda Chaves e Residencial Jundiaí) é no terceiro trimestre, entre julho e setembro.

Para o secretário de Saúde, Cláudio Miranda, a informação é positiva porque a descentralização dos casos de urgência e emergência é uma das bases da reestruturação do sistema municipal, ao lado do fortalecimento do modelo de saúde de família na rede de atenção básica.

“Também estamos na expectativa de abertura da concorrência para o início das obras da UPA Ponte São João 24 Horas em pouco tempo. Essas são as primeiras das quatro unidades desse tipo e são um compromisso de governo do prefeito Pedro Bigardi”, explicou Cláudio.

Mudança profunda
A comissão da comunidade que acompanha as obras contou na visita com José Bessa, da associação de moradores, com José Paulo, do conselho gestor da unidade de saúde, Edicarlos Vieira, do coletivo vetor oeste, e o padre Samuel, da paróquia do bairro.

“Essa UPA vai ser uma das maiores do Brasil, vai ficar além do tamanho padrão utilizado em outros lugares. E vai ser excelente porque o tempo em casos de emergência é vital”, explicou a gerente da UBS Novo Horizonte, Ruth Rocha.

Os avanços da obra foram constatados na quarta medição, trabalho feito periodicamente pelo setor de obras da Prefeitura que condiciona a liberação de recursos.

Além de pequenas cirurgias e exames especializados, a UPA vai contar com outros serviços e até mesmo com uma unidade descentralizada do Serviço de Atendimento Móvel de Emergência (Samu), que vai atender toda a zona Oeste.

Rede de urgência
Além das quatro unidades de pronto atendimento (no modelo federal da UPA) nas quatro regiões da cidade, a reestruturação em andamento para Jundiaí, segundo a Prefeitura, envolve também a criação do PA Central 24 Horas, implementado em 2013, e do PA Retiro 24 Horas, que também está com seus preparativos finais em andamento.

“Estávamos até agora dependendo somente do Hospital São Vicente, que também vem sendo reforçado”, afirma o secretário Cláudio Miranda.

A previsão da Prefeitura é de que até 90% das demandas que iriam para o hospital possam ser resolvidas nas unidades de pronto atendimento, com menor tempo de atendimento. Na UPA Novo Horizonte, o investimento conjunto do governo municipal e governo federal é de R$ 7 milhões.