Simpósio do Patrimônio lança nesta sexta primeira rota turística do Centro

 O lançamento do projeto da primeira etapa da Rota Turística do Centro, na sexta às 10h30,  e da edição Brasil-Portugal do novo volume da série Meu Pai Foi Ferroviário, na sexta às 15h15, são algumas das atrações do 5º Simpósio do Patrimônio Material e Imaterial. E muito mais.  

Na quinta-feira (17), às 18h30, foi realizada no Solar (Museu Histórico) a palestra do superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Victor Hugo Mori, que também foi presença no projeto de restauração e zeladoria da Ponte Torta.

Na quinta-feira começou também as “jornadas do patrimônio” (também na sexta e sábado) com visitas monitoradas abertas das 10h às 16h em cinco locais simultâneos que são o Solar do Barão, a Pinacoteca, o Teatro Polytheama, o Complexo Argos e o Complexo Fepasa – neste, onde tudo acontece na sexta-feira. 

Programação paralela (1) – Na sexta (18), o foco está na área das antigas oficinas ferroviárias da Companhia Paulista, no atual Complexo Fepasa. Uma tenda montada pela APMCP e Centro de Estudos e Lazer da Melhor Idade (Celmi) tem atividades paralelas chamadas “aquecendo as emoções” com abertura de Orlinda Silva às 15h, coral às 15h15, lançamento do novo volume brasileiro-português da série Meu Pai Foi Ferroviário às 16h45, palestra sobre patrimônio ferroviários de Ana Torrejais às 17h e sobre as duas faces da mesma moeda de Douglas Tufano às 18h. O ativista Eusébio Santos não vai falar, mas estará presente.

Programação oficial (2) – A programação oficial do simpósio, também na sexta-feira nas antigas oficinas da Companhia Paulista, tem às 8h na sala dos relógios a mesa redonda sobre patrimônios imateriais como culturas indígenas, populares e imateriais. Em seguida, às 10h30, o lançamento da Rota Turística do Centro Histórico – organizada pelo Departamento de Patrimônio e Departamento de Turismo com apoio de estudos do site Jundiahy. 

E duas salas simultâneas às 11h, uma sobre patrimônio material edificado e outra sobre dialetos italianos na cidade.

Na tarde, outras duas salas simultâneas às 13h30, uma sobre patrimônio ambiental e arqueológico e outra sobre patrimônio ferroviário.

E das 15h30 às 18h00 ocorre a sessão de apresentação de trabalhos inscritos pela comunidade, na chamada sala dos relógios.   

Programação paralela (2) – Ainda na sexta-feira, de manhã e tarde, o lado externo das oficinas da Companhia Paulista também vai ter exposição de artesanato autoral do Jundiaí Feito à Mão e de uma entidade chamada Associação de Mulheres Indígenas de Icatu, além de carros de gastronomia. No encerramento, às 19h, tem show do Baile do Serelepe com a cantora Vanessa Costa como convidada especial abrindo o evento paralelo Encontro na Fepasa.