Vanderlei Victorino: “tudo em função do ser humano”

vanderlei-victorino-ba-associacao-aposentados

Na semana passada o candidato a prefeito pelo PSol, Vanderlei Victorino (BA), precisou ir ao hospital. No calor da campanha, sentiu a pressão subir — literalmente.

Professor de dança e coreógrafo, BA não tem plano de saúde e teve que ser atendido no Hospital São Vicente de Paulo, conveniado do Sistema Único de Saúde, o SUS. Era noite.

E ali, no saguão de espera, ele pode constatar que havia pessoas na fila do atendimento desde cedo.

Essa foi uma das muitas histórias que esse morador do Jardim do Lago, militante do movimento negro e que declarou ao Tribunal Regional Eleitoral ter apenas uma motocicleta Yamanha no valor de R$ 6.000,00, contou na noite da sexta-feira (31) na sede da Associação dos Aposentados de Jundiaí.

Vanderlei Victorino foi o primeiro dos cinco candidatos a prefeitos a ser sabatinado na série promovida pela Associação dos Aposentados, Ordem dos Advogados do Brasil e Movimento Voto Consciente.

O resumo de seu plano de governo?

“Tudo em função do ser humano”.

BA falava para uma pequena platéia de aposentados e militantes. Explicou seu plano para a cidade e respondeu perguntas. Em todas elas, porém, voltou ao seu foco principal: o olhar para as pessoas.

Nas respostas, muitas críticas ao atual modelo de desenvolvimento adotado pela administração municipal.

“Em 28 anos cinco hospitais da cidade foram fechados. E hoje temos a Casa de Saúde fechada enquanto o São Vicente está lotado. Temos que reabrir imediatamente a parte da Casa de Saúde que já foi da Unimed. Ali o hospital está pronto para funcionar”, afirmou.

Em seu plano de governo ele acredita na descentralização da saúde, com a transformação das Unidades Básicas de Saúde em policlínicas com atendimento 24 horas.

Quando fala de mobilidade — e ele diz que muitas vezes anda de ônibus — o candidato enfatiza a necessidade de criação de um conselho tarifário, que seja capaz de dar transparência ao cálculo da tarifa de ônibus na cidade.

“Jundiaí tem uma das tarifas de ônibus mais caras do pais”, afirmou. A proposta é caminhar para sistema de tarifa zero.

Vanderlei também criticou o fato de o governo municipal estar restringindo o acesso das pessoas às praças, especialmente dos idosos.

Contou a história de um senhor que reclamou da falta de bancos e banheiros na Praça Governador Pedro de Toledo. “Os idosos gostam de ir para a praça conversar, encontrar os amigos”.

BA lamentou que muitas praças estejam sendo cercadas, como é o caso da praça principal da Vila Hortolândia, ponto tradicional de encontro de pessoas idosas. “Estão tirando o espaço das pessoas” criticou.

Na opinião dele, é necessária a criação de uma secretaria especial para o idoso, uma vez que a cidade está crescendo ao mesmo tempo em que sua população envelhece.

O candidato também criticou a falta de uma política pública de tratamento de dependentes químicos. Segundo ele, o poder público não enxerga o grave problema e não mantém uma estrutura capaz de dar conta do atendimento dessas pessoas.

“Nós temos um problema sério que precisa ser resolvido. O viciado tem que ser tratado com políticas de saúde pública”.

Todo o encontro foi gravado pela Associação dos Aposentados e será disponibilizado na internet, uma forma de comprometer cada candidato com o plano apresentado, disse o presidente da Associação, Edegar de Assis.

Na foto de abertura, da esquerda para a direita, o presidente da Associação dos Aposentados de Jundiaí, Edegar de Assis, o coordenador do Movimento Voto Consciente Henrique Parra Parra Filho, o candidato Vanderlei Victorinio e o candidato a vice-prefeito Durval Abre Fagundes Jr.