Votação do Plano Diretor será grande teste para o governo Bigardi nesta terça

A Câmara Municipal vota nesta terça-feira (28) o mais importante projeto da atual legislatura: o Plano Diretor participativo.

Um projeto importante não apenas porque vai definir os rumos do desenvolvimento da cidade nos próximos 10 anos, mas também por estabelecer com mais clareza o cenário político nos próximos meses.

O fato do Plano Diretor ter sido colocado em pauta pelo presidente da Câmara Municipal, Marcelo Gastaldo, já é um sinal de que as conversas entre o Legislativo e o Executivo tiveram algum resultado.

O projeto de lei enviado à Câmara Municipal pela Prefeitura precisa do voto de dois terços dos vereadores para ser aprovado.

E, caso seja aprovado, em seguida, a Câmara deverá votar 10 emendas apresentadas pelos vereadores e comissões da casa.

Duas delas, as de número 1 e 2, alteram radicalmente o projeto de lei enviado pela Prefeitura — elaborado com a participação da sociedade.

Na noite desta segunda-feira (27), a emenda número 2 foi retirada.

O resultado das votações desta terça-feira, portanto, vai mostrar o tamanho da força de cada corrente política e econômica da cidade.

Se o governo Pedro Bigardi conseguir aprovar o Plano Diretor sem as emendas, ou pelo menos o mais perto possível do projeto original, vai mostrar força política e cacife para as próximas eleições.

Caso o Plano seja aprovado e em seguida alterado pelas emendas dos parlamentares, quem sai fortalecido é o setor imobiliário, cujos candidatos já estão fortemente empenhados na pré-campanha.

Na verdade, está em jogo justamente o que diferencia o governo Bigardi de outros governos anteriores: a forma de olhar o território da cidade e o caminho de seu desenvolvimento.

De qualquer forma, a sessão desta terça já é histórica.

Leia mais

Entenda como as emendas dos vereadores alteram o Plano Diretor participativo

Eles vieram de trator para lembrar que a agricultura existe. E resiste

“É um equívoco”, diz prefeitura sobre estudo encomendado pelo FORCIS

Para IAB, novo Plano Diretor rompe com modelo de desenvolvimento

Diretora critica forma “desesperada” de desqualificação do Plano Diretor

Para presidente do IAB, Plano Diretor não contempla questões importantes

“A habitação não pode ser encarada como impacto negativo”, diz Proempi

 

Deixe um comentário