O britânico Tony Nicklinson, de 58 anos, que teve o pedido de dar fim à própria vida negado pela Justiça há menos de uma semana, morreu nesta quarta-feira (22) às 10 horas. Nicklinson estava preso a uma cadeira de rodas há sete anos. Ele sofria da síndrome do enclausuramento, desde que sofreu um derrame.

A família de Tony publicou, a pedido dele, uma mensagem no Twitter. “Adeus mundo, a hora chegou, eu me diverti”, escreveu. “Obrigada a todos pelo apoio durante todos esses anos. Nós apreciaríamos um pouco de privacidade neste momento difícil. Com amor, Jane, Lauren e Beth (mulher e filhas de Tony)”.

Tony não podia se mover do pescoço para baixo, e se comunicava por meio de piscadas. Apesar de paralisado, as faculdades mentais do britânico funcionavam perfeitamente. Segundo o site “Mail Online”, Tony chegou a dizer que a Justiça o havia condenado a uma vida de “de indignidade e miséria”. E considerou parar de comer.

A mulher e as duas filhas de Tony Nicklinson o apoiaram no desejo de cometer suicídio, com a ajuda de médicos. As três disseram que apelariam sobre a decisão da Justiça. A polícia ainda está investigando a morte do britânico.

Deixe um comentário