Começa nesta sexta o Amplifica 2017, o Festival Sesc de música independente

2

De 3 a 11 de junho acontece o Amplifica 2017, Festival Sesc de Música Independente, que vai colocar no palco durante dois finais de semana oito bandas da região com uma estrutura profissional e espaço para que apresentem suas composições ao público local.

Será um encontro e também uma celebração.

O objetivo do Amplifica 2017 – Festival Sesc De Música Independente, segundo seu idealizador, o músico, DJ e produtor Jota Wagner (ao lado do jornalista e crítico Ricardo Alexandre), é fornecer às bandas independentes de Jundiaí e região estrutura profissional e espaço para que apresentem suas composições ao público local, dando assim condições para aprimorarem sua base de fãs.

Além disso, apresentar ao público local o que está acontecendo de mais criativo na música da cidade. “Mostrar que perto de nós boa música é apresentada em praças e bares. Construir uma relação de afinidade com as bandas autorais locais”, explica Wagner.

O Amplifica 2017 vai trazer aos músicos da cidade palestras e workshops com nomes de referência nacional, além de documentários sobre o mercado independente brasileiro. Um festival que tem o potencial de se tornar um evento histórico para a música local.

“Criaremos um núcleo de discussão e troca de informações visando o aprimoramento das bandas locais na indústria da música. Fornecer aos músicos informações sobre como acessar o mercado musical nacional e internacional com suas composições”.

Formato

Durante dois finais de semana, oito bandas se apresentarão nas noites de sexta e sábado (duas bandas por noite). São bandas da região de Jundiaí, com um trabalho autoral e que atuam localmente na divulgação de seu trabalho no circuito independente, através de shows, gravações, etc.

De terça a domingo, entre os finais de semana de apresentação dos artistas, um ciclo de palestras e exibição de documentários completará a programação do festival.

Seatle brasileira

A cidade de Jundiaí ficou conhecida nacionalmente como “a Seattle brasileira” no início da década de 90 por sua incrível quantidade de bandas de rock. Seattle era a terra do movimento “grunge” que viu nascer uma prolífica geração de artistas que renovaram a cena musical da época.

Apesar da vontade de fazer de muitos músicos, a vida de um artista independente não é fácil, segundo explica Jota Wagner, ele mesmo um dos integrantes e fundadores da banda Burt Reynolds.

A rotina de compor e executar a melhor música possível esbarra na necessidade de auto gerenciar sua carreira, ensaiar, evoluir tecnicamente e ainda compreender a enorme quantidade de opções que a indústria da música oferece para que seu projeto possa “decolar”.

Além de tudo isso há o mais importante: construir uma base de admiradores de seu som, que é o que lhe permitirá melhores contratos de shows.

As bandas 

Sexta-feira                

Sound Food Gang

NDK

Sábado

Quarto de Badulaques

Corrosivo 420

Sexta

Infante

Fistt

Sábado

Gasoline Special

Burt Reynolds

NDK

Banda formada por amigos de colégio que há 11 anos vem construindo uma nova história no cenário do rock nacional com inovação, originalidade, qualidade musical e contestação social.

Influências variadas e elementos que vão do rap e do rock, ao reggae e ao pop, caracterizam a criatividade sonora da banda. As mensagens que as letras autorais transmitem, motivam o instinto de força, atitude e coragem. NDK surpreende pelos vôos mais altos e pela maturidade sonora em cada novo projeto lançado.

A banda faz parte de uma nova geração de músicos conectados e se destaca nas aberturas dos shows de artistas como Jota Quest, O Rappa, Forfun, Nando Reis, Fresno e Raimundos, também em festivais nacionais e nas grandes festas do circuito universitário de São Paulo (InterUnesp, Engenharíadas, TUSCA, CaipirUSP e outros).

Participaram do Sampa Music Festival 2016, o maior festival de música independente da América Latina. E na sua cidade de origem (Jundiaí/SP), ganharam prêmios como banda revelação e destaques do novo rock nacional. (Maratona Estudantil, Pop Festival, Primavera Rock Festival, e outros)

Corrosivo 420

A banda mescla jazz, funk e psicodelia em faixas instrumentais, permeadas por improvisos e groove que os qualificou no ano passado para gravações no projeto Converse Rubber Tracks. O Corrosivo conquistou a atenção do público da cidade se apresentando regularmente em shows na rua, coletivos.

Sound Food Gang

Coletivo de Rap que une oito artistas jundiaienses em uma apresentação conjunta. O Sound Food Gang já tem diversos lançamentos de seus membros, entre singles, EPs e albuns representando a cultura hip hop na cidade.

Gasoline Special

Desde 2007, a banda jundiaiense Gasoline Special “tem atropelado todo tipo de tendência e modinha, espancando sempre a mesma tecla: Tocar o Rock and Roll em toda sua liberdade”.

Do underground do interior pra onde for preciso, o atual trio André Bode (Voz & Guitarra), Junior Scalav (Bateria & Voz) e Junior Costa (Baixo & Voz), já tocaram pela capital e pelo interior paulista, dividindo o palco com bandas atuantes de diversos cenários do rock nacional.

Quarto de Badulaques

Quarto de Badulaques é um trio de Música Popular Brasileira formado em Jundiaí.

Adotou este nome por volta de 2009, inspirado em um dos trabalhos do escritor Rubem Alves. No entanto, o projeto iniciado pelos seus integrantes Rogério Silvestroni e Marcos Guimarães remonta ao final da década de 1990.

O trabalho é calcado numa pesquisa musical independente, tendo como essência os ritmos brasileiros, mas trazendo também elementos do rock, do jazz e de outras manifestações sonoras, somados a uma letra essencialmente brasileira, contemplativa e intimista..

Infante

Com fortes influências das bandas guitarreiras da década de 90, como Pixies e Husker Du, o Infante lançou recentemente seu segundo CD, “1991”. A banda se apresenta regularmente no circuito alternativo da cidade e procura se manter sempre em estúdio.

Fistt

O Fistt surgiu em Jundiaí e soma 20 anos de história pra contar com seu punk rock/hardcore melódico fomentado por letras sagazes e melancólicas. Atualmente o quarteto mergulha de cabeça no projeto “Como Fazer Inimigos”, gravado no Midas Studios em São Paulo.

Ao longo de sua trajetória, já se apresentaram ao lado de gigantes do Punk/Hardcore mundial, como Bad Religion, Millencolin, Down By Law, Marky Ramone and The Intruders, Bambix, Shelter, No Use For a Name, além de ter tocado em inúmeros festivais do gênero, como o ABCPróHC e Oxigênio Fest.

Burt Reynolds

Com mais de 20 anos de carreira, compacto lançado em 2001 e outro vinil chegando em outubro (ambos pela renomada gravadora Monstro Discos), a banda Burt Reynolds encabeçou o movimento que levou Jundiaí a ser conhecida nacionalmente pela música que se fazia aqui.

Coleciona apresentações em bares e festivais seminais na história do rock paulista, dividindo palco com Cachorro Grande, Brothers of Brasil, Autoramas, BNegão e os Seletores de Frequência, Supla e Sea Weed (California).

PALESTRANTES

 

Ricardo Alexandre

Comunicação Entre Artista e Mídia

O jornalista Ricardo Alexandre é crítico, locutor , palestrante e músico brasileiro, conhecido por atuar no jornalismo musical desde a década de 90. Escreveu resenhas, críticas e reportagens de álbuns e músicos no jornal O Estado de S. Paulo. Trabalhou nas últimas edições da revista Bizz e diversos veículos, como o extinto portal de música online Usina do Som. Escreveu os livros: Dias de Luta (2002) que recontava a história do rock brasileiro na década de 1980; Nem Vem que não Tem – A Vida e o Veneno de Wilson Simonal (2010); Cheguei Bem a Tempo de Ver o Palco Desabar (2013), retrata sua trajetória como jornalista através de bandas e músicos que fizeram parte de seu trabalho.

Gabriel Thomaz

Auto Gerenciamento de Carreira Artística

Gabriel Thomaz é vocalista, guitarrista e compositor do
Autoramas, banda que tem em seu currículo 15 turnês internacionais. Nascido em Brasília, atualmente é umas das maiores referências nacionais quando o assunto é gerenciamento de uma carreira artística independente.
Autor do livro Magneticos 90 – A Geração do Rock
Brasileiro Lançada Em Fita Cassete. Como compositor, teve músicas gravadas e interpretadas por diversos artistas, com destaque para Raimundos, Ultraje à Rigor e Érika Martins.

 

Léo Bigode

Empreendedorismo: Das Gravadoras Independentes aos Grandes Festivais

Léo Bigode é sócio fundador e CEO da Monstro Discos, a mais importante gravadora independente do Brasil. Nascido em Goiânia, criou o Goiânia Noise Festival, festival de bandas independentes que já apresentou nomes como Cypress Hill, Exployted, Sepultura, Suicidal Tendencies, Nação Zumbi, entre muitos outros, e celebrou no último ano sua 22a edição. Atua também como secretário geral na FBA – Festivais Brasileiros Associados.

Pena Schmidt

Passado, Presente e Futuro da Música Independente

Pena Schmidt é produtor musical, ex-executivo e diretor de gravadoras (esteve na Warner Music e é o responsável direto pelo surgimento dos Titãs , Ira! , Ultraje a Rigor , Magazine entre outros). Também foi proprietário do selo independente Tinitus, ex-presidente de Associação Brasileira da Música Independente (ABMI), diretor de palco e proprietário da empresa de produção musical StageBrainz , ex- superintendente do Auditório Ibirapuera . Atua na Vida_Boa, pesquisa, consultoria e curadoria musical.

 

DOCUMENTÁRIOS

 

SEM DENTES – O BANGUELA RECORDS E A TURMA DE 1994

Direção: Ricardo Alexandre – 2015 – 135 minutos.

O documentário fala sobre o selo Banguela Records, criado por Carlos Eduardo Miranda e pelos Titãs. Uma ideia fundamental para a renovação da música jovem brasileira da época, abordando o cenário do rock, os festivais musicais e batalhas de fitas.

 

TIME WILL BURN

Direção: Marko Panayotis e Otávio Sousa – 2016 – 80 minutos

A partir da década de 90, surgiram novas ramificações sonoras que enriqueceram a cultura musical do país. O documentário retrata como o fim da censura do regime ditatorial e a chegada da MTV ao Brasil, entre outros fatores, fizeram dos anos 90 um período essencial para o amadurecimento da música brasileira.

BOTINADA – A ORIGEM DO PUNK NO BRASIL

 

Direção: Gastão Moreira – 2010 – 110 minutos

Entre meados da década de 70 e meados da década de 80, surge e é marcante o movimento punk no Brasil. O documentário levou 4 anos de pesquisa, 77 entrevistas e 200 horas de filmagem. Com muita música, o longa conta com registros iconográficos, imagens raras e depoimenos de remanescentes deste movimento.

MÚSICA DE TRABALHO

Direção: Daniel Dias – 2003 – 75 minutos

O filme dá voz a 16 bandas independentes do país. Discute o cenário mostrando como as novas tecnologias deram voz a muitos artistas, permitindo a produção e divulgação do seu trabalho de forma independente, onde anteriormente o único caminho era gravar uma fita demo, mandar para uma gravadora e esperar a grande sorte.

 

DIA   

HORÁRIO           

PROGRAMAÇÃO

02/06             

19:00h

ABERTURA DO EVENTO

19:15h

Apresentação: Sound Food Gang

20:30h

Apresentação: NDK

03/06

16:00h

Apresentação: Quarto de Badulaques

17:30h

Apresentação: Corrosivo 420

04/06

15:00h

Palestra: Empreendedorismo – Das gravadoras independentes aos grandes festivais
Leo Bigode

17:00h

Palestra: Passado, Presente e Futuro da Música Independente
Pena Schmidt

06/06

17:00

Documentário: Botinada (2010 – 110 min)

20:00

Documentário: Música de Trabalho (2003 – 75 min)

08/06

17:00

Documentário: Time Will Burn (2016 – 80 min)

20:00

Documentário: Sem Dentes (2015 – 110 min)

09/06

19:00h

 Apresentação: Infante

20:30h

Apresentação: Fistt

10/06

15:00h

Apresentação: Gasoline Special

17:00h

Apresentação: Burt Reynolds

11/06

15:00h

Palestra: Comunicação entre Artista e Mídia Ricardo Alexandre

17:00h

Palestra: Auto gerenciamento de Carreira Artística Gabriel Thomaz

19:00h

Encerramento do evento

 

Organização

A organização do festival está sob a responsabilidade da Tudo Certo Editorial, com curadoria de Ricardo Alexandre (escritor/jornalista) e Jota Wagner (músico/DJ).

Jota Wagner é músico, DJ, colaborador do portal de música Music Non Stop e um dos criadores da Agência 55, projeto destinado a facilitar a entrada de artistas independentes no mercado internacional. Atua no circuito de música alternativa desde a década de 90, como fundador da banda jundiaiense Burt Reynolds. Se apresentou em grandes festivais como o Goiania Noise, Vivo Open Air, Red Bull Live Images e bares de todo o país, além de ter feito cinco turnês pela Europa com seu projeto de discotecagem Colors Sound System.

Ricardo Alexandre é jornalista, crítico, locutor, palestrante e músico brasileiro , conhecido por atuar no jornalismo musical desde a década de 90. Escreveu resenhas, críticas e reportagens de álbuns e músicos no jornal O Estado de S. Paulo. Trabalhou nas últimas edições da revista Bizz e diversos veículos, como o extinto portal de música online Usina do Som.

Escreveu os livros: Dias de Luta (2002) que recontava a história do rock brasileiro na década de 1980; Nem Vem que não Tem – A Vida e o Veneno de Wilson Simonal (2010); Cheguei Bem a Tempo de Ver o Palco Desabar (2013), retrata sua trajetória como jornalista através de bandas e músicos que fizeram parte de seu trabalho.

Estrutura

As apresentações das bandas acontecerão no ginásio da unidade com estrutura delimitada para 1.000 espectadores.

Os documentários serão apresentados no teatro, com capacidade para 300 espectadores.

As palestras serão ministradas no Espaço de Tecnologia e Artes, com capacidade para 30 participantes.

Saiba mais

 
NDK – https://youtu.be/8yJItB8MCDE
Corrosivo 420 – https://youtu.be/890ga_0nREo
Quarto de Badulaques – https://www.youtube.com/watch?v=o1sS3yCO_lg
Gasoline Special – https://youtu.be/jedLt2TxynY
Infante – https://youtu.be/yjDCC0wKGtw
Fistt – https://youtu.be/pmK5-N8MgL8
Burt Reynolds – https://youtu.be/cE6HXzn-tGw
Sound Food Gang – https://www.facebook.com/soundfoodgangSem Dentes (documentário) – https://youtu.be/9TnIfFG57ls
Time Will Burn (documentário) – https://youtu.be/gfJdz-KS_0M
Botinada (documentário) – https://youtu.be/mgsHGb_Nqog
Música de Trabalho (Daniel Dias) – https://youtu.be/BS-b0YAsyKU

Deixe um comentário

2 comments

  1. Adalberto

    Boa Tarde gostaria de retratar que a foto do Selo Soundfoodgang está errada pois na mesma não se encontram os integrantes gostaria de solicitar a mudança da foto.

    Adalberto Fernando de Lima
    Empresário da Soundfoodgang
    11-99915-2127

    • Flavio Gut

      A foto já foi trocada por uma mais atual. Agradecemos o contato.