Centro de Memórias lança catálogo online de seu acervo

O Centro de Memórias de Jundiaí disponibiliza a partir desta quinta-feira (29) a catalogação online de seu acervo.

O projeto, conduzido pelo historiador Alexandre Augusto de Oliveira, reúne grande parte de documentos administrativos do poder público, produzidos em vários períodos históricos, recolhidos em diversos departamentos e também recebidos de doações particulares.

Ao longo dos anos, o acervo esteve sob domínio do Museu Histórico e Cultural de Jundiaí e sua recente catalogação proporciona o acesso livre para pesquisadores, educandos e interessados em geral.

“A catalogação é o passo inicial para a elaboração de instrumentos de pesquisa do acervo e com certeza potencializa os estudos relacionados à história de Jundiaí”, disse Alexandre.

O processo de catalogação teve início em 2013 com a equipe do Centro de Memórias, criado em dezembro de 2012. Ao todo foram três historiadores, dentre eles o atual secretário de Cultura, Jean Camoleze, e a historiadora Juliana Mota Silveira, além de outros seis estagiários para que o trabalho fosse possível.

“Sabemos ser fundamental o acesso à documentação histórica, preservada, organizada e disponibilizada no Centro de Memória de Jundiaí. No entanto, as ações para tais trabalhos precisam ser realizadas com qualificações técnicas, que levam em conta conhecimento e a experiência, acumulados durante décadas”, explica Alexandre Oliveira.

Para ter acesso ao catálogo basta acessar o site do Patrimônio Histórico e clicar na aba “Catálogo do acervo – (Centro de Memória)”.

Cidade, Patrimônio & Memória
A Diretoria de Patrimônio também lança a edição 001 da revista “Cidade, Patrimônio & Memória”, que agrupa dez artigos de trabalhos históricos envolvendo Jundiaí, apresentados no 4º Simpósio do Patrimônio Material e Imaterial, durante os dias 24 e 26 de agosto deste ano.

Para o Secretário de Cultura Jean Camoleze, o Museu Histórico e Cultural de Jundiaí fecha o ano com duas realizações essenciais ao incentivo da história jundiaiense.

“A memória coletiva é fundamental para a formação da nossa identidade social e o acesso sobre ela garante uma ampliação da participação popular na vida política da cidade. Com isso, é fundamental o catálogo e a revista do Patrimônio, pois ambos são essenciais à continuidade de um bom trabalho”, disse Camoleze.

O Centro de Memórias fica na avenida União dos Ferroviários, nº 1760, Centro. O horário de funcionamento é de terça à sexta-feira, das 10h às 17h. Mais informações, telefone (11) 4521–3020.

Comments are closed.