Depois de um período de férias em julho, recomeçou nesta sexta-feira (3) no Centro Náutico do Parque da Cidade a nova temporada de cursos de capacitação para caiaques, obrigatória para quem quer remar na represa.

Aproveitei o fantástico dia de sol e fui fazer o curso. Com a desculpa de que estava fazendo um test-drive para escrever depois um artigo a respeito. Desculpa mesmo. Pois, na verdade, estive lá por puro prazer. A vontade de ver a represa de dentro.

Foi uma ótima decisão, sem dúvida. E me juntei a outras 5.500 pessoas que já fizeram a capacitação em cinco anos. O professor Ivaldo Miliarci, o Cuca, coordenador do Centro Náutico, é seguro e claro nas orientações.

Como ele mesmo diz, até que não é muito difícil remar. Mais complicado mesmo é subir no caiaque depois que a gente cai na água. Fizemos um treinamento básico. O suficiente para que as 28 pessoas que fizeram o curso nesta sexta se sentissem com coragem para enfrentar a represa.

É preciso ficar de olho no caiaque, que é fornecido sem custo para o praticante. Observar as condições do equipamento, os remos e, especialmente, o colete salva-vidas. Sem ele ninguém entra na água. Outro requisito fundamental: é preciso saber nadar. E essa é umas partes mais importantes do treinamento. Tem que ser aprovado pelo professor Cuca para receber a capacitação.

Quem se capacita tem o direito de usar os caiaques por 40 minutos qualquer dia da semana. De 6 da manhã até 17 horas.

Eu nem liguei muito pra água fria. E nem dá pra dizer que não fiquei com aquela emoção de primeira viagem, mesmo diante de um passeio a poucos metros da margem.

Segundo explicou o professor Cuca, o objetivo é permitir que mais pessoas conheçam a represa. Naveguem por ela e auxiliem a preservar o meio ambiente.

“No início costumávamos fazer mutirões para tirar lixo da represa, mas hoje isso não é mais necessário, pois ela está limpa. E quem navega, se acha alguma coisa recolhe. Com isso vamos mantendo a represa cada vez melhor”.

O curso é gratuito e o participante precisa fazer o agendamento no próprio Centro Náutico. A capacitação acontece às sextas 8h30 e terças 14h30 e nos domingos. Mas aos domingos só há vagas para outubro.

É necessário saber nadar, levar uma mudar de roupa, documentos e uma foto 3×4. O equipamento (caiaques e coletes salva-vidas, são fornecidos pelo Parque) para o treinamento.

Mas, de agora em diante, o praticante terá que comprar o próprio colete. “É uma questão de higiene”, explicou o administrador do parque, Julio Lamarca.

A orientação dos profissionais da Comercial Cremonesi, a mais tradicional casa de equipamentos náuticos da cidade, é que o praticante compre um colete homologado pela Marinha. Existem vários modelos disponíveis no site da empresa. http://www.cremonesi.com.br/

Os dois tipos mais indicados são o tipo Canga, mais simples e barato (R$ 32,60), e o colete Ativa (R$ 128,00) com 10% de desconto à vista. O modelo Canga é utilizado pelo Centro Náutico do Parque da Cidade.

Mais informações na página do Parque da Cidade no Facebook.