Cultura diz que medidas de segurança foram necessárias

A Unidade de Gestão da Cultura da Prefeitura de Jundiaí respondeu na quarta-feira (1) ao manifesto divulgado pelos membros dos 11 blocos carnavalescos da cidade.

Na nota divulgada pela Cultura, os responsáveis pela pasta afirmam que as medidas de segurança foram necessárias para evitar atos pontuais de vandalismo.

Blocos condenam toque de recolher imposto ao Carnaval da cidade

Em nota, a Unidade informou que:

“Durante as reuniões preparatórias para o Carnaval de 2017, os blocos carnavalescos expuseram sobre a falta de apoio por parte órgãos públicos, principalmente durante a dispersão dos foliões, que ficava sob a responsabilidade dos próprios organizadores. Deste modo, foram reunidos diversos setores do poder público para o debate e, em parceira, buscar meios para que os problemas, principalmente relacionados aos “pancadões” após os desfiles, fossem resolvidos.

É necessário ressaltar que funcionários da Cultura acompanharam os desfiles no decorrer dos oito dias, quando foi possível observar a presença de manifestantes, que chegavam, após a dispersão, com condutas repulsivas e distantes das dos foliões. Muitas vezes, com agressão física direta a agentes da segurança (policiais e guardas municipais), com o uso de garrafas, paus e latas, exatamente como ocorrido ontem (28), na Vila Hortolândia. Medidas de segurança foram necessárias para evitar atos pontuais de vandalismo após os desfiles. Ressalta-se que, nessas situações, a atuação da GM ocorreu, irrestritamente, em obediência aos ditames constitucionais

“Toque de recolher”, “criminalização do carnaval” e “violência institucional” não são palavras que integram o vocabulário da Unidade de Cultura nem tampouco da administração municipal. Conforme informado, a dispersão das escolas e blocos no horário estabelecido (19h30) foi negociado e acordado com os organizadores em uma série de reuniões, conciliando os direitos dos foliões e dos moradores. Esse planejamento assegurou a ausência de ocorrências graves nos percursos, ao longo dos oito dias de desfiles.

Por fim, a Unidade de Cultura ressalta que seguirá trabalhando em prol das manifestações culturais da cidade durante todo o ano.”