Um grupo de mais de 200 pessoas, entre crianças, jovens e adultos fizeram do estacionamento do Paço Municipal um grande palco por cerca de uma hora, durante a gravação de dois vídeos da febre da internet Harlem Shake.

Harlem Shake são vídeos que já se transformaram em verdadeiros fenômenos da internet, atraindo milhões de acessos a cada dia.

Tudo tem início com uma figura esquisita, geralmente de capacete ou fantasiada, que começa a dançar ao som de uma batida eletrônica, de mesmo nome (Harlem Shake, cortesia do rapper e produtor norte-americano Baauer).

Um corte seco na edição do vídeo e pronto: uma multidão cai na farra e extravasa o estresse numa festa.

“Para mim, o Harlem Shake significa diversão e alegria”, diz Gustavo Bulhões, 28 anos, mais conhecido como Gumba. Ele foi um dos organizadores do evento de sábado, que ainda teve um cunho social. “Arrecadamos mais de 50 quilos de alimento, que serão destinados à Amarati.”

Gumba conta que tudo foi organizado em uma semana, com divulgação apenas nas redes sociais, e que o objetivo era mostrar o Paço Municipal para identificar a cidade durante a brincadeira.

“A coisa deu tão certo que uma emissora de TV já nos procurou para que a gente repita a dose”, conta.

O publicitário Alex Rosa, outro dos organizadores, disse que o movimento buscou arrecadar alimentos e trazer a ideia do Harlem Shake para a solidariedade.

“Nosso foco foi a solidariedade, e foi muito gratificante saber que estaríamos além de brincar, ajudar a quem precisa.”

Para a segunda vez, ainda sem data definida, Gumba tem uma meta: quer reunir de 500 a 600 pessoas e conseguir arrecadar mais alimentos.

O idealizador lembrou que até mesmo o programa Fantástico, da Rede Globo, entrou na onda e vem pedindo que vídeos de Harlem Shake sejam enviados à atração semanal.

A ideia da turma de Jundiaí é promover eventos ao menos uma vez por mês, com o objetivo de promover ações sociais. “A coisa nasce na internet, se concretiza no mundo real e ainda ajuda quem precisa”, finaliza.

 

Acompanhe o vídeo: