Lô Borges encanta o público em apresentação no Sesc

Bruno Galiego

São 45 anos de carreira, uma disposição de se admirar e, claro, canções que estão eternizadas na história da música popular brasileira.

Com uma bagagem dessas, a apresentação do cantor e compositor, Lô Borges, no ginásio do Sesc, na noite deste sábado, 4, não poderia ter sido diferente: um espetáculo testemunhado por mais de 750 pessoas. 

O que era para ser um show simples, com um caráter mais intimista, acabou tendo que passar por modificações por conta do sucesso de vendas.

“Fiquei muito surpreso, a ideia inicial era fazer uma apresentação simples na qual estaria somente eu e o guitarrista, Henrique Matheus. Felizmente o sucesso das vendas me obrigou a trazer a banda”, explicou o compositor. 

O compositor mineiro emocionou o público com canções do seu LP de 1972, “o disco do tênis” (Lô Borges) e botou todo mundo para cantar junto as canções “Chuva na Montanha” e “Equatorial”, do disco Via Láctea, de 1979.  

O ponto alto da performance de Lô Borges foi relembrar as canções do disco “Clube da Esquina”, de 1972, gravado em parceria com Milton Nascimento. Novamente, o público cantou junto os clássicos “Nuvem Cigana”, “Trem Azul”, “Paisagem da Janela”, “Um Girassol da Cor do seu Cabelo” e “Clube da Esquina II”. 

Além da parceria com Milton Nascimento, o compositor também lembrou de outras feitas ao longo da sua carreira.

“Tive a oportunidade de fazer composições e participações com grandes nomes de diferentes gerações. Estive com o Milton, ao qual sou eternamente grato, com Beto Guedes, Nando Reis entre outros. No ano passado lancei um ao vivo com o Samuel Rosa do Skank, e foi ótimo. É muito importante interligar gerações diferentes, isso enriquece a música”, disse durante sua apresentação. 

No final, Lô Borges fez um “repeteco”, dessa vez com a guitarra em mãos ao invés do violão, da canção “Clube da Esquina II”, que ele havia tocado no início da apresentação. 

Veja a entrevista: 

https://youtu.be/VxGRfKMlMaQ 

 

 

Fotos by Lucas Castroviejo