O primeiro homem a pisar na Lua, Neil Armstrong, morreu neste sábado (25) aos 82 anos nos Estados Unidos, segundo informou a família do astronauta aos jornais norte-americanos.

Ele havia sido operado do coração em 7 de agosto, depois que os médicos encontrarem quatro entupimentos em suas artérias, e desde então se recuperava no hospital na cidade onde morava com a esposa, Cincinatti.

Armstrong foi o comandante da Apollo 11, e foi o primeiro homem a pisar na Lua em 20 de julho de 1969. Ao pisar na Lua Amstrong proferiu a célebre frase:

“Um pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade.”

Nascido em 5 de agosto de 1930, Armstrong foi piloto da Marinha dos Estados Unidos entre 1949 e 1952 e lutou na Guerra da Coréia. Em 1955, se formou em engenharia aeronáutica pela Universidade de Purdue e se tornou piloto civil da agência que precedeu a Nasa, a Naca (Conselho Nacional de Aeronáutica).

Lá, entre outras aeronaves, pilotou o X-15 – avião experimental lançado por foguete onde ocorreram as primeiras tentativas americanas de chegar aos limites da atmosfera e à órbita do planeta. Em 2012, o X-15 ainda mantém o recorde de velocidade mais alta já atingida por um avião tripulado.

Em 1962, ele deixou a função de piloto de testes e passou a ser astronauta. Sua primeira missão espacial foi como comandante da Gemini 8, em março de 1966, onde ele e o astronauta David Scott fizeram a primeira acoplagem de duas naves espaciais. Na ocasião, ele se tornou o primeiro civil americano a ir ao espaço.

Com o fim do programa Gemini e o início do Apollo, Armstrong foi selecionado como comandante da Apollo 11. Segundo a Nasa, não houve uma escolha formal inicial de quem deveria ser o primeiro a pisar na Lua. Mas foi Amstrong quem saiu primeiro do módulo lunar

Armstrong e Aldrin ficaram 21 horas e 36 minutos na Lua – duas horas e 36 minutos caminhando por ela, segundo a agência americana.

Neil Armstrong foi recebido como herói após sua volta, com condecorações de diversos países. A mais recente foi uma medalha do Congresso americano, dada a ele e a outros pioneiros espaciais em novembro de 2011.

Veja galeria de fotos AQUI

Com a morte de Neil Armstrong, voltam a pipocar teorias de conspiração negando a chegada do homem à Lua. Anos atrás, o jornalista Carlos Orsi redigiu um infográfico para o EStadão a respeito. Ele ainda está no ar. VEJA AQUI.

Deixe um comentário