Mário Martins já nem pode ser chamado de neo-jundiaiense. Adotou a cidade em 1995 e se considera mais um “refugiado” de Sampa na cidade onde vive e trabalha como profissional de comunicação.

No paralelo, é tecladista da super banda Patavinas Jazz Clube, que lançou recentemente seu novo CD, Tranca a Porta e Joga a Chave.

Formado por 12 músicos, o grupo Patavinas Jazz Club apresenta, durante duas horas de show, um total de vinte composições próprias no formato “Big Band” de música instrumental.

“Fazemos jazz. Mas não o jazz que só músicos conseguem entender e gostar”, brinca Mário.

Estas composições passeiam pelos mais diversos ritmos e harmonias, desde a Bossa Nova e o Jazz até o Reggae e o Rock.

O Patavinas Jazz Club cativa o público contando os fatos que originaram tais composições. Este é um fator que gera grande aproximação com o público que se emociona com composições escritas sobre o nascimento de filhos dos integrantes ou até mesmo histórias sobre jogos de futebol.

André Hemsi é o guitarrista e compositor — fundador da banda e responsável por todos os arranjos musicais. Ele foi assunto da respeitada revista Guitar Player recentemente.

Na entrevista abaixo, Mário Martins fala do novo CD e dos planos da banda. A Patavinas Jazz Club procura uma data para tocar na cidade. Isso deve acontecer provavelmente em novembro.

Quantos discos da banda tem?

Três. Empório, Entre Marés e Tranca a Porta e Joga a Chave.

O que mudou do primeiro até o atual Tranca a Porta e Joga a Chave?

Apesar da proposta ainda ser a mesma, ou seja, de ser um trabalho autoral, o que muda é o amadurecimento. O som cresceu na elaboração das composições e dos arranjos. acredito que evoluímos bastante.

Como você define o som do disco novo?

O disco novo está mais variado, revelando de forma mais explícita as diferentes influências que recebemos. Este CD traz samba, blues, frevo, rock, bossa, valsa e, claro, o jazz também.

A geléia geral brasileira do jazz…

Mas também é um disco que mostra que o jazz não precisa ser aquela coisa complicada que só músico entende.

Mas uma característica da banda é a alta qualidade dos músicos. E isso leva a improvisos, bossas e “groves” interessantes…

… jazzísticos na melhor expressão da palavra…

Isso.

Pois é… essa mistura de gêneros é uma coisa que o músico brasileiro tem de sobra. E assumimos isso no disco. Mas tudo é resultado de uma dedicação de todos os integrantes. Porque a banda não é nossa ocupação principal. A unidade deste conjunto é tão empolgante que nos dedicamos muito.

Qual o plano da banda com o disco. Já tem uma agenda de shows? Toca em Jundiaí quando?

Em jundiaí estamos aguardando data para Novembro, mas ainda não temos confirmação. Temos apresentações no TonTon Jazz mensalmente a partir de Setembro até o final do ano e ainda mais algumas apresentações em lojas da Livraria Cultura em sampa e talvez Campinas também.

Canal no Youtube
http://www.youtube.com/user/patavinasjazzclub?feature=results_main

Trilhas sonoras
O grupo Patavinas Jazz Club também atua em trilhas sonoras para filmes.
Conheça o vídeo institucional do Museu Náutico de Ilha Bela através do YouTube.

Contato
Nome do espetáculo/evento: Patavinas Jazz Club
Duração: duas horas
Gênero: Música Instrumental

Direção: Andre Roll Hemsi e Mario José Ribeiro Martins

Responsável: Andre Roll Hemsi

Telefone Residencial: (11) 2364-0070, Celular: (11) 9203-0905
E-mail: andrehemsi@uol.com.br

Na foto de Hélio Penteado, show do Patavinas Jazz Club no Sesc