Polícia dispersa foliões do Continuamos na Nossa com gás lacrimogêneo e balas de borracha

Passava pouco das 9 horas da noite desta segunda-feira, 27, quando a Polícia Militar e a Guarda Municipal começaram a dispersar a multidão que ainda se aglomerava em frente ao Estrela da Ponte, na Ponte São João, depois de terminado o desfile do bloco.

Com as sirenes ligadas, o policiais iniciaram a ação. E o confronto começou. A avenida Padre Angelo Cremonti estava cheia de gente. Muitos moradores do tradicional bairro e outros tantos vindos de diversos pontos da cidade. Tendas de venda de comes e bebes, pessoas com seus coolers ainda conversando.

Não se sabe quem atirou a primeira garrafa ou a primeira bomba de gás lacrimogêneo, mas o fato é que houve corre-corre e os moradores tradicionais se refugiram no Estrela da Ponte. Outros, revoltados, chegaram a ligar para a Polícia Militar justamente para reclamar da ação da Polícia Militar.

Na ação a polícia usou balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo. Alguns moradores afirmam que também foi usado spray de pimenta.

Um vizinho do Estrela da Ponte teve a casa atingida por bomba de gás. Alguns tiveram que ser socorridos por outros moradores e levados ao hospital.

A Polícia Militar fez um cerco à área, prendeu diversas pessoas, revistou carros e rebocou alguns veículos estacionados em lugares proibidos.

 

Roberto Fernandes, um dos principais ativistas da mobilidade na cidade, integrante do Pedala Jundiaí, estava próximo do Estrela da Ponte de bicicleta. Tomou tiros de balas de borracha.

“Foi a maior selvageria por parte da Polícia . Os caras chegaram sem falar nada , se posicionaram e saíram atirando . Me acertaram um tiro na perna. E eu nem estava no meio do povo, estava saindo de pedal,  de repente senti um tiro na perna”.

Deixe um comentário