Polícia e Juizado ditam as regras do Carnaval da cidade. Sem graça

Representantes da Polícia Militar, Guarda Municipal, Vara da Infância e Juventude e das Unidades de Cultura, Mobilidade e Transporte e Finanças se reuniram, na tarde desta quinta-feira, 26,  no Paço Municipal, com os responsáveis pelos blocos que pediram autorização à Prefeitura de Jundiaí para desfilar no Carnaval 2017.

A reunião, segundo informa o site da Prefeitura,  teve como objetivo definir as regras para a folia — que este ano não terá o tradicional desfile das Escolas de Samba. São regras tão severas que poderiam ser utilizadas para orientar a procissão de Nossa Senhora do Desterro ou a Marcha para Jesus.

Carnaval matinê

Durante a reunião ficou definido que todos os blocos devem encerrar seus desfiles às 19h30. “Considerando que a dispersão dos foliões demora cerca de uma hora e meia, esse horário é ideal para que seja respeitada a Lei do Silêncio e os moradores das regiões não sejam incomodados”, explicou o tenente-coronel da Polícia Militar Henrique Neto.

Crianças menores de cinco anos de idade não poderão participar dos desfiles, inclusive no caso do bloco “Mamãe eu Quero”, o único destinado ao público infantil. “A participação está proibida mesmo se a criança estiver acompanhada dos pais ou responsáveis”, informou Neto — alguém falou com os pais?

Veja abaixo o que diz o juiz da Infância e Juventude

Também está proibida a venda de bebidas alcoólicas nas ruas, conforme determina o decreto municipal que trata de eventos na cidade. A reunião definiu, ainda, que os estabelecimentos comerciais que venderem bebidas alcoólicas onde haverá desfiles de blocos não poderão utilizar garrafas nem latas.

Vermelhos e Brancos

“Pedimos para que as bebidas alcoólicas sejam vendidas em copos vermelhos e as não alcoólicas em copos brancos, ambos descartáveis. Isso vai facilitar o trabalho dos agentes de fiscalização do comércio e da Vara da Infância e Juventude”, acrescentou o tenente-coronel. Sério mesmo?

Na 9 de Julho não

Os responsáveis pelos blocos foram informados de que precisam disponibilizar orientadores identificados para atuarem em casos de crianças perdidas, acidente com algum folião ou qualquer outro desrespeito às regras.

O representante da PM explicou, ainda, que alguns locais solicitados pelos representantes dos blocos não foram aprovados por questões de segurança, caso da avenida Nove de Julho, solicitada por dois blocos — uma regra que não foi aplicada em nenhuma manifestação pró ou anti governo, nas comemorações e nas marchas de louvor.

“A avenida é rota para dois dos principais hospitais da cidade, Corpo de Bombeiros, rodoviária e no futuro dará acesso direto à rodovia Anhanguera. Não é prudente autorizar eventos dessa natureza em uma avenida de tamanha importância para a cidade”, disse.

Positivo e operante

Presente à reunião, o gestor de Segurança Municipal, Paulo Giacomelli Stel, considerou o encontro muito positivo. “Praticamente todos os detalhes foram acertados e agora falta apenas a definição dos locais de alguns blocos. A Guarda Municipal está pronta e bem preparada para atuar na preservação do patrimônio e na segurança dos foliões durante toda a festa”, destacou.

Juiz diz que é preciso usar o bom senso

Na tarde desta sexta-feira, 27, o juiz da Vara da Infância de Jundiaí, Jefferson Torelli, afirmou ao Portal Tudo que crianças menores de 5 anos com os pais poderão aproveitar o Carnaval. 

“Temos uma portaria que regulamenta isso. De fato menores de 5 anos não podem estar em blocos, nem desfiles carnavalescos. No entanto, temos que usar bom senso. Se a criança está com o pai e a mãe, não existe esse ‘rigor’. O que não pode é criança sozinha, é criança longe de seus responsáveis”, garantiu Torelli.

LEIA TAMBÉM
E a cidade vai ter seu Carnaval matinê. Sem cordas, desfile ou julgamento

Confira a programação

Deixe um comentário