Ponte Torta se divide entre o funk e as marchas do bloco

O Bloco da Ponte Torta foi mais um motivo para que milhares de pessoas tomassem o espaço da Praça Erazê Martinho na tarde de sábado (25), mas não o único. Muito antes do bloco passar por lá, as pessoas já se reuniam ao som do funk.

No posto de gasolina em frente à praça, alguns carros com potentes equipamentos de som, animavam as rodas. O bloco passou rápido trazendo junto os foliões que vinham da concentração na Lanchonete Natura, onde a festa continuou depois.

Quem estava na Ponte Torta, no entanto, permaneceu. Era outra vibe. Algo semelhante ao que havia acontecido pela manhã, quando depois do bloco Carne com Queijo, adeptos do funk fizeram uma festa nas imediações da praça Getúlio Vargas.

Mas tanto na praça Erazê Martinho, como na lanchonete Natura e também na praça Getúlio Vargas o carnaval de rua terminou cedo. Nas redes sociais algumas pessoas reclamaram da sujeira deixada na Ponte Torta. Por volta de 1 hora da manhã deste domingo (26), no entanto, as equipes de limpeza já haviam concluído o trabalho.

Ponte Torta de tarde

Ponte Torta depois do Carnaval. 11 horas da noite (foto do Facebook de Tatão Storani)

Ponte Torta por volta de 1 hora da manhã de domingo