Quarteto de Cordas da Orquestra Municipal no Polytheama

quarteto-de-cordas

Pela primeira vez que os chefes de naipes da Orquestra Municipal se apresentam como quarteto. Será neste sábado (15), às 20 horas no Polytheama.

Uma oportunidade para que o público conheça as lideranças da Orquestra: Ana de Oliveira – Spalla (chefe dos 1ºs violinos), Edgar Leite – Chefe dos segundos-violinos, Emerson De Biaggi – chefe das violas, Ricardo Fukuda – chefe de violoncelos.

A regente da Orquestra, Cláudia Feres, diz que a apresentação do Quarteto de Cordas é importante para que músicos mostrem suas personalidades, ficando mais expostos.

“Temos músicos de altíssimo nível na Orquestra. Eles têm muitas experiências e podemos explorar mais essas potencialidades e valorizar esses artistas”, afirma Cláudia Feres.

Emerson De Biaggi explica

O quarteto de cordas é uma das formações camerísticas mais importantes da música erudita. Em seu concerto de estréia, o quarteto formado pelos chefes de naipe da OMJ buscou peças de diferentes periodos e estilos, que contam um pouco da história dessa formação.

Beethoven foi o compositor que mais contribuiu para a evolução dos quartetos de cordas. Em seus 16 quartetos e na Grande Fuga, Beethoven amplia significativamente as dimensões e as possibilidades sonoras deste meio.

O quarteto Op. 18 n.4 pertence ao primeiro grupo de quartetos lançado por Beethoven por volta de 1800 e destaca-se por ser o único deste grupo composto em modo menor, com uma sonoridade bastante dramática, especialmente em seu primeiro movimento.

No Brasil, a contribuição mais significativa para este gênero foi provavelmente a de Villa-Lobos, que compos 17 quartetos de cordas. Nessas peças, ele explora a sonoridade e os recursos dessa formação de maneira bastante original, buscando adaptá-la a uma linguagem nacional.

No quarteto n.1 esses elementos estão presentes em movimentos que nos remetem a atmosferas tipicamente brasileiras como a de Serestas ou de Brincadeiras de roda.

A escrita de Piazzolla adapta-se de forma bastante idiomática aos instrumentos de cordas, com várias de suas obras figurando entre as preferidas desses instrumentistas.

A versão para quarteto de cordas feita por Jose Bragato para o pouco conhecido Tango Ballet é um ótimo exemplo do “casamento” entre o estilo do compositor e o meio em questão.

Quarteto vai apresentar peças de Beethoven, Villa Lobos e Astor Piazzolla.

Serviço
Concerto: Quarteto de Cordas
Data: Sábado (15)
Horário: 20 horas
Entrada: gratuita
Local: Sala Deolinda Copelli – Teatro Polytheama
Endereço: Rua Barão de Jundiaí, 176 – Centro


View Larger Map

Deixe um comentário