O grande encontro de arte digital em São Paulo

Artistas de diversas partes do mundo estarão reunidos a partir de terça-feira para o maior encontro de arte digital feito no país.

Até o dia 19 de agosto o Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso sediará a terceira edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File) que trará animações, instalações interativas, aplicativos para tablets, games, performances, workshops, mesas-redondas, encontros com artistas internacionais e jogos produzidos com estética cinematográfica.

De acordo com o organizador do festival, Ricardo Barreto, a entrada será gratuita e o evento, elaborado pelo Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), ocupará também duas estações de metrô (Consolação e Trianon-Masp) e o Museu da Imagem e do Som (MIS). “Nessas duas estações de metrô haverá intervenções públicas de um grafiteiro digital que vai projetar suas arte nas paredes”.

Barreto disse que o festival cresceu desde que começou a ser feito há 13 anos e que no começo era apenas na internet. “Hoje o File é o alinhamento de vários eventos digitais e trabalha com a arte eletrônica, usando todas as tecnologias e inovações que a evolução digital proporcionou”.

Segundo ele, o festival passou a ser um complexo de eventos porque o mundo digital é interconectivo, pois tudo de alguma maneira tem uma interface digital. “Isso propicia que todas as artes, que antes eram separadas, comecem a convergir. A digitalidade possibilita essa conexão entre elas, porque todos trabalham com algorítimos, com linguagem digitais”.

O festival foi dividido em polos temáticos: instalações interativas, games, maquinema, anima+, tablet, media art, hipersônica e symposium e workshop. Os destaques ficam para o Paradoxal Sleep, um cubo que flutua no espaço; Túnel, que é uma escultura cinética, imersiva e interativa que se movimenta durante a passagem dos visitantes pelo seu interior; What a Loving, and Beautiful World, uma projeção interativa com caracteres da caligrafia japonesa.

No File Anima+ serão exibidos diferentes gêneros de animação, curtas e longas-metragens experimentais até filmes de grandes estúdios. A seleção conta com trabalhos de alguns dos maiores festivais internacionais de animação e traz atrações da Grécia, França, Hungria/Alemanha.

No File Tablet serão mostrados mais de 30 aplicativos nas categorias de livros eletrônicos, jogos e entretenimento com dois sistemas operacionais diferentes. Destacam-se aplicativos desenvolvidos em Hong Kong, no Brasil e na Rússia.

No FIile Hipersônica o público terá acesso a diversas produções sonoras que usam as ferramentas digitais. Participam artistas do Chile, da Alemanha e de Hong Kong. No FILE Symposium, os artistas falarão sobre os processos criativos e as novas tendências do setor. E nos Grupos de Trabalho o público terá a oportunidade de conhecer e aprender sobre as técnicas utilizadas por grupos do Chile, Brasil e da Itália.

Por Flávia Albuquerque, da Agência Brasil