Uma oficina sobre bioconstrução acontece neste sábado (26), das 9h às 17h, no Projeto Ecoar. Como é uma oficina prática, que vai lidar com barro, recicláveis e madeira, recomenda-se roupas confortáveis e usadas.

O convidado é o arte-educador Vanilson da Silva Rosa, também agente socioambiental formado pela Umapaz (Universidade Aberta de Meio Ambiente e Cultura para a Paz), da Prefeitura de São Paulo. Atua nos coletivos Casa Ecoativa e Imargem e também na Escola Adriano Bernardes.

A proposta ocorre dentro de uma vertente da permacultura, com algumas técnicas de bioconstrução que a partir de uma visão ampla do espaço usa recursos locais. A ideia é desenvolver um banco de “superadobe”, técnica de terra ensacada e reboco natural de terra como acabamento. A oficina é interativa, com a participação de pessoas da escola e do bairro.

O local será um espaço da Escola Orozimbo Sóstena (avenida Vicente Pires Pardini, 500, Jardim Estádio). Não há custos, mas o almoço será comunitário e pede-se levar algo nesse sentido.

O Projeto Ecoar, promotor da oficina, surgiu com um edital do CMDCA (Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente) com a experiência da equipe da Almater e é voltado para a educação ambiental, a cidadania, a agroecologia e a permacultura.

A Casa Ecoativa, convidada, é centro ecocultural surgido de uma mobilização comunitária em um espaço público inativo por oito anos na ilha do Bororé, nas margens da represa Billings, no extremo sul da capital.

A conexão entre grupos culturais atuantes da região do Grajaú gerou uma espécie de “organismo vivo”, com programação que une o acesso à cultura e lazer com a discussão sobre práticas sustentáveis.